8 de março – Mulheres celebram seu dia com luta por direitos e pela vida

421

No Brasil, deste início do século 21, o Dia Internacional da Mulher é marcado pela reflexão e pela luta. Mulheres de todo o país vão clamar por direitos: ao emprego, ao salário justo, à aposentadoria, à liberdade, à autonomia, à equidade e à vida.

Juntas, as mulheres vão, mais uma vez, lutar contra a opressão, a violência, a misoginia, o racismo, o sexismo e também contra os retrocessos sociais, econômicos e trabalhistas que estão sendo impostos ao povo brasileiro. E a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) está com elas.

Depois da contrarreforma trabalhista, a proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro prejudica toda a classe trabalhadora e, especialmente, as mulheres. Mais tempo de trabalho e menor valor para as aposentadorias e pensões é o que se avizinha, caso a reação não seja à altura do ataque.

No campo do Jornalismo, as jornalistas continuam tendo menos oportunidades na carreira, continuam ganhando menores salários e são as vítimas preferenciais de assédio moral e sexual.

Mas existem outras batalhas e a mais sangrenta é a do combate à violência de gênero. Mulheres são agredidas nas ruas e em casa. A pesquisa Visível e Invisível – A Vitimização de Mulheres no Brasil 2ª Edição, realizada pelo Datafolha e Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revela que, em 2018, a cada minuto, nove mulheres foram vítimas de algum tipo de agressão.

Os dados são alarmantes e inaceitáveis. É preciso dar um basta à violência contra as mulheres.

Também é preciso dar um basta à retirada de direitos da classe trabalhadora, inclusive do direito à sua livre organização. O futuro do Brasil não pode ser tornar-se um país de miseráveis. E as mulheres trabalhadoras devem estar na linha de frente da luta.

A FENAJ celebra a força das mulheres brasileiras, em especial das jornalistas.

Pelos direitos das trabalhadoras!

Contra o desmonte da Previdência!

Pelo fim da violência de gênero!

Pelo fim do racismo!

Por um jornalismo sem machismo!

Brasília, 8 de março de 2019.

Diretoria da FENAJ.