FENAJ denuncia corte nos salários e intimidação dos trabalhadores dos Diários Associados...

FENAJ denuncia corte nos salários e intimidação dos trabalhadores dos Diários Associados em Minas Gerais

445

repudio-daA Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), entidade de representação dos jornalistas de todo o Brasil, vem a público manifestar sua solidariedade aos trabalhadores dos Diários Associados em Minas Gerais e repudiar veementemente o ataque aos seus direitos, que vem sendo posto em prática pela direção da empresa. Por se tratar de corte de direitos históricos dos jornalistas, esse ataque atinge não apenas os profissionais dos Associados em Minas, ameaça a categoria em todo o país e como tal deve ser enfrentado.

Não é de hoje que os trabalhadores dos Diários Associados em Minas sofrem as consequências de uma administração incompetente e autoritária. Nos últimos anos, eles tiveram de aprender a conviver com repentinos, sucessivos e crescentes descumprimentos de direitos previstos na CLT, na Convenção Coletiva de Trabalho e até em acordos feitos na Justiça. O grupo Associados Minas não deposita o FGTS, não paga férias, não repassa vale-transporte em dia, muda e suspende o plano de saúde, não paga na íntegra os acertos dos dispensados nem os acordos de processos trabalhistas transitados em julgado. Em 2015, não pagou o 13º salário, descontou o Imposto de Renda na Fonte mas não o repassou para a Receita Federal, deixando todos os trabalhadores na malha fina e sem restituição.

Como se tudo isso não bastasse, os Associados Minas cortaram todos os salários em 30%, em abril deste ano, afrontando a lei e a vontade manifesta dos trabalhadores, que, em plebiscito, manifestaram-se contrários à redução salarial com redução de 1 hora na jornada de 7 horas diárias. Durante a campanha salarial, aproveitando-se da sua posição no sindicato das empresas proprietárias de jornais e revistas, tentaram generalizar o corte de direitos, impondo-o também aos jornalistas das outras empresas jornalísticas de Belo Horizonte.

Paralelamente, instalou-se nas empresas do grupo – notadamente S.A. Estado de Minas e TV Alterosa – um ambiente de assédio e intimidação. Não sem resistência dos jornalistas, que, em dezembro do ano passado, fizeram a primeira greve da categoria em Belo Horizonte em décadas, e que acabou reverberando Brasil afora. Em evidente represália, foram demitidos todos os profissionais que se destacaram na liderança do movimento grevista.

Para forçar a implantação do corte de direitos, o grupo Associados não se limita a tentar indispor a categoria contra o Sindicato. Vai além, exigindo a adesão dos trabalhadores às suas propostas, por meio de pressões, de reuniões fechadas com editores e assinatura de documentos sem valor legal, nos quais os empregados abrem mão de direitos.

Essa situação se repete atualmente, num ataque ainda mais profundo e mais amplo. Às vésperas do julgamento da ação movida pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais contra a redução ilegal dos salários, previsto para o próximo dia 25/10, a direção do grupo Associados tenta conseguir a adesão dos seus empregados a um acordo de indenização pelo corte ilegal dos vencimentos, acordo escancaradamente lesivo aos interesses dos trabalhadores.

Pela proposta, as indenizações seriam pagas em até 48 meses e somente pelos últimos cinco anos trabalhados. No caso dos repórteres 1, que perderam cerca de R$ 1.500 nos vencimentos mensais, a indenização corresponderia a cerca de dois salários e meio atuais ou, em valores exatos, 24 parcelas de R$ 301,53. Trabalhadores com 40 anos de casa receberiam 48 parcelas de cerca de R$ 270. A proposta de adesão ao acordo foi entregue nesta segunda-feira, dia 17.

A FENAJ solidariza-se com os jornalistas dos Diários Associados em Minas Gerais e conclama todos os jornalistas brasileiros a se solidarizarem também. A redução salarial é inadimissível. Não podemos aceitar esse corte de direitos, que ameaça a toda categoria.

A luta dos jornalistas dos Diários Associados em Minas Gerais é a luta de todos os jornalistas brasileiros!

Nenhum direito a menos!

Brasília, 19 de outubro de 2016.

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ