Mais do que nunca, dia de luta

Mais do que nunca, dia de luta

458

Desmonte do Estado brasileiro com congelamento de gastos públicos; enfraquecimento das políticas públicas para o desenvolvimento social; ataques aos direitos trabalhistas e previdenciários; aprovação da terceirização indiscriminada; desemprego. Os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil estão sob real ameaça, por isso precisam resistir e lutar.

No dia consagrado nacionalmente à categoria dos jornalistas, a FENAJ e os Sindicatos de Jornalistas reafirmam seu compromisso em defesa dos direitos conquistados pela classe trabalhadora brasileira e em defesa de condições de trabalho dignas para os/as jornalistas. Especialmente neste 7 de abril, mais do que comemorar, temos de lutar.

 

Como parte da classe trabalhadora, os/as jornalistas também serão afetados pelas reformas em curso, caso sejam implementadas. Essas reformas significam precarização das relações de trabalho, instabilidade, rebaixamento de salários e trabalho sem fim. Com elas, perde o país e perdem os trabalhadores e trabalhadoras.

 

A categoria dos jornalistas ainda é ameaçada em questões específicas, como tentativa de desregulamentação profissional, violência no exercício da atividade e diminuição dos postos de trabalho.

 

A chamada crise das empresas de comunicação tem servido de pretexto para demissões em massa e mais precarização, com a consequente perda de qualidade da informação jornalística que chega à sociedade.

Mas a FENAJ e os Sindicatos de Jornalistas chamam a categoria a resistir. Sem ações de resistência, sem esperança e sem luta não há conquistas possíveis. Pequenas ações também podem ser transformadoras, principalmente quando desenvolvidas coletivamente.

Reafirmamos que o Jornalismo é um bem público essencial à democracia e não existe Jornalismo sem o/a profissional Jornalista.

 

Para celebrar o Dia do Jornalista, reafirmamos nossos compromissos profissionais com a busca da verdade, a informação plural e ética, a liberdade de expressão e de imprensa e com a democracia.

 

Jornalistas na luta! Nenhum direito a menos!

 

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ.