PM de Curitiba prende repórteres da RICTVe agride a liberdade de imprensa

PM de Curitiba prende repórteres da RICTVe agride a liberdade de imprensa

424

A Federação Nacional dos Jornalistas repudia a atitude de policiais militares do Paraná que, na quinta-feira (30/04) prenderam dois profissionais da RICTV de Curitiba. Os jornalistas Nilson Machado e Lúcio André faziam a cobertura de uma ameaça de bomba, quando foram presos e levados em um camburão até o 12º Batalhão da PM. O impedimento ao livre exercício da profissão patrocinado pelos PMs constitui grave cerceamento à liberdade de imprensa e requer esclarecimentos e providências das autoridades estaduais do Paraná.

O repórter cinematográfico e o repórter da RICTV chegaram ao local onde havia a ameaça de bomba, na Praça Rui Barbosa, no Centro de Curitiba, antes da polícia e que não havia cordão de isolamento. Depois, a pedido de um policial, afastaram-se do local em que estavam, mas continuaram as gravações. O relato foi confirmado por outros jornalistas que presenciaram os fatos.

O policial que estava no comando da operação prendeu os jornalistas sob a alegação de desacato. A PM diz que os jornalistas invadiram o cordão de isolamento feito no local e que eles “ameaçaram” os policiais. Mas as imagens feitas pelo cinegrafista Nilson Machado desmentem a versão e mostram que o cordão de isolamento ainda não estava delimitado e que o que houve foi truculência e autoritarismo.

O excesso dos policiais envolvidos na operação é injustificável. Caberia aos PMs estabelecer o espaço necessário para garantir segurança, mas impedir os jornalistas de exercerem sua atividade profissional e sua função social de informar a sociedade constitui abuso de autoridade.

A FENAJ solidariza-se com os profissionais vitimados por esta prisão desnecessária e atentado à liberdade de imprensa e soma-se ao Sindicato dos Jornalistas do Paraná no sentido de exigir das autoridades estaduais a apuração do caso, os esclarecimentos e as medidas cabíveis.

Brasília, 01 de julho de 2016.

Diretoria da FENAJ