Presidente ataca a liberdade de imprensa ao caluniar jornalista

407

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam a acusação leviana e caluniosa que o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez à jornalista Constança Rezende, por meio de seu Twitter.

O primeiro mandatário do país utilizou informação falsa do site Terça Livre, que atribuiu à jornalista a afirmação de querer arruinar a vida de Flávio Bolsonaro, para afirmar que a imprensa quer “derrubar o governo, com chantagens, desinformações e vazamentos. ” O site é claramente partidário de Bolsonaro e atribuiu à Constança Rezende, uma afirmação que ela jamais fez.

A jornalista, repórter do jornal O Estado de S. Paulo, é uma dos profissionais que acompanha o caso Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, que segundo o Coaf, movimentou quantias de dinheiro incompatíveis com sua renda.
Ao tentar desqualificá-la para enfraquecer a apuração do caso Queiroz, o presidente da República assume uma postura que não condiz com o cargo que ocupa. Em mais uma atitude intempestiva e irresponsável, ele agride a jornalista e, em última análise, o trabalho jornalístico. Os constantes ataques do presidente à atuação da imprensa são um desrespeito à democracia brasileira que precisa ter um fim.

O Sindicato dos Jornalistas e a FENAJ, assim como todos os jornalistas brasileiros, não se intimidarão diante desse comportamento ignominioso e pedem que as empresas de comunicação, e neste caso, especialmente ao jornal O Estado de São Paulo, que também assumam a defesa da liberdade de imprensa e de seus profissionais.

Aos jornalistas cabe a função de informar à população, de forma responsável, sobre os fatos relevantes da vida nacional e, deste nobilíssimo papel, não vamos abrir mão.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Município do Rio de Janeiro.

Federação Nacional dos Jornalistas.