Trabalhadores da EBC reavaliam movimento de greve e proposta do TST

Trabalhadores da EBC reavaliam movimento de greve e proposta do TST

154

Mobilizados desde o início de novembro, os trabalhadores e trabalhadoras da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) estão lutando contra a intransigência da diretoria da empresa, que se recusa a corrigir os efeitos da inflação sobre os salários e demais direitos da categoria e vem apresentando uma pauta de retrocessos na Campanha Salarial 2017-2018.

Com uma forte articulação das praças do Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal e Maranhão, os profissionais da EBC entraram em greve no dia 14, após oito rodadas de negociação com a direção da empresa. E depois de quase duas semanas de paralisação, a categoria resolveu dar mais uma demonstração de flexibilidade, atendendo a proposta do Tribunal Superior do Trabalho – TST, e suspendeu a greve, a partir do dia 27, para uma nova tentativa de construir com os empregados, a empresa e a União um acordo referente à norma coletiva. No entanto, os trabalhadores da EBC deixaram claro que querem a garantia do abono dos dias parados e também a prorrogação do atual acordo coletivo, que perde a vigência no próximo dia 30.

Assim, uma reunião de negociação mediada pelo TST ocorreu na terça-feira, 29. E nesta quarta-feira, os trabalhadores das praças do RJ, SP, DF e MA estão reunidos em assembleia para reavaliar o movimento de greve e a proposta do TST, que foi elaborada a partir da reunião de terça.

 

Apoio

O movimento grevista tem recebido um amplo apoio da sociedade, como a manifestação do ator Pedro Cardoso, no programa “Sem Censura”, da TV Brasil; a nota de solidariedade da Central Única do Trabalhadores (CUT) e a nota da  Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão e o Direito à Comunicação com Participação Popular (Frentecom) em apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da empresa e em defesa da EBC.

A FENAJ também tem estado solidária a greve dos trabalhadores da EBC e participa das atividades por meio de seus dirigentes, que também são dirigentes dos Sindicatos de Jornalistas de São Paulo e do Município do Rio de Janeiro. A dirigente Sueli Freitas, do Departamento de Relações Institucionais, é funcionária da EBC e está participando do movimento grevista no Rio de Janeiro. O dirigente da Executiva José Carlos Torves está acompanhando as negociações em Brasília.

Com informações dos Sindicatos de São Paulo e DF