AGRESSÃO NÃO – SindJoRS e FENAJ repudiam hostilização a jornalistas

18

O Sindicato de Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SindJoRS) e a Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ) receberam, através das redes sociais, denúncia de hostilização contra jornalistas no exercício profissional ocorrida nesta quarta-feira (3) durante uma coletiva de imprensa do Governo Federal. Na ocasião, estavam presentes, entre diversas outras autoridades, o ministro de Estado da Secretaria Extraordinária da Presidência da República, Paulo Pimenta, e a ministra da Cultura, Margareth Menezes. A ministra Margareth anunciou o investimento de R$ 60 milhões para a retomada do setor cultural no estado. A coletiva de imprensa ocorreu no Mercado Público, no Centro Histórico de Porto Alegre, e a comitiva estava acompanhada também por outros profissionais da área da cultura.

 

Em vídeos gravados, durante o evento, e publicados nas redes sociais, manifestantes gritam e vaiam os jornalistas, colegas da Rádio Guaíba e da Band RS, enquanto tentavam fazer questionamentos sobre outros temas para os Ministros presentes. O Sindjors e a Fenaj vêm a público repudiar com veemência esses ataques na tentativa de impedir jornalistas de exercer seu direito ao livre exercício profissional. É normal que em um evento, que ocorreu em um espaço público, a imprensa aproveite a oportunidade do momento para questionar sobre outros assuntos. E esse direito de perguntar e questionar, tão necessário em nossa profissão, precisa ser garantido e respeitado. As autoridades públicas precisam trabalhar de forma conjunta nessas ocasiões para proteger os profissionais que fazem cobertura dos fatos jornalísticos, seja no campo da política, do esporte ou sobre qualquer outro tema.

 

Em contato com as direções das emissoras, e com colegas que sofreram a agressão, o SindJoRS e a FENAJ manifestaram seu descontentamento de como a situação foi encaminhada e se colocaram à disposição para amparar as e os colegas jornalistas. É inadmissível que qualquer profissional da comunicação precise abandonar seu local de trabalho por sentir medo, ser hostilizado e sofrer constrangimento do público presente. Agradecemos a manifestação de nossa categoria em relatar os fatos ocorridos para nosso conhecimento e manifestação porque só assim, com união, é que poderemos criar ambientes saudáveis para o bom exercício profissional. Lamentamos o ocorrido e vamos continuar trabalhando diariamente para que imprensa seja livre, responsável e respeitada.

 

SindJoRS e FENAJ oficiarão a Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal, que precisa atuar com firmeza para que jornalistas não sejam cerceados ou hostilizados e que propiciem ambientes saudáveis para o exercício profissional deixando as regras de uma coletiva de imprensa já definidas com os veículos de comunicação para evitar esse tipo de situação.

 

COMO DENUNCIAR

Em casos de ameaças ou agressão, seja verbal ou física, é importante que o profissional registre um Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima, e procure o Sindicato da sua região. A denúncia é a melhor arma para combater esse tipo de crime. No Rio Grande do Sul, o SindjoRS, até a sede da entidade poder ser novamente acessada, os contatos são pelos seguintes canais: secretaria@jornalistas-rs.org.br, Whatsapp: (51) 3228-8146 ou pelos celulares: (51) 991743053 (Laura Santos Rocha) e (51) 99956295 (Viviane Finkielsztejn).

 

Texto: Viviane Finkielsztejn/Diretoria SindJoRS