BASTA DE VIOLÊNCIA – Jornalista Daniel Tercílio Carniel foi agredido a socos em Garibaldi/RS

32

Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS – Sindjors – e a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ denunciam e cobram ação dos órgãos de segurança para investigar e punir agressão contra o jornalista Daniel Tercílio Carniel, atacado com socos ao chegar no seu local de trabalho, na cidade de Garibaldi. Há 15 dias, ele havia trabalhado em notícia que denunciou irregularidades cometidas pelo ex-prefeito do município.

O ato de violência aconteceu na tarde da última sexta-feira (14/01), quando o jornalista Daniel Tercílio Carniel estava chegando na emissora onde trabalha, no município de Garibaldi, na serra gaúcha, quando alguém o abordou e perguntou se ele era o Daniel. Ao ouvir uma resposta afirmativa, o homem desferiu vários socos no jornalista e fugiu. Nada foi levado de Daniel, descartando, assim, tentativa de assalto. A Adesso TV fica no centro da cidade e a agressão aconteceu no hall de entrada do prédio, que possui câmeras de segurança, mas as imagens ainda serão analisadas pela Polícia Civil. A Brigada Militar atendeu a ocorrência, preliminarmente, mas encaminhou a investigação para a Civil.

“Me pegaram de tocaia assim que eu chegava na tv. Ele me pediu meu nome e começou me agredir. Agora, segunda feira, a Brigada Militar vai passar o caso para a Polícia Civil. Não deve ser alguém de Garibaldi, mas foi contratado por alguém daqui”, contou o jornalista Daniel Tercílio Carniel (abaixo) ao Sindjors.

O jornalista acredita que a violência possa estar relacionada com uma denúncia que ele fez, há cerca de 15 dias. Daniel revelou o caso de um ex-prefeito que inaugurou um poço artesiano no município, durante campanha, e, até hoje, a estrutura não disponibiliza água. “40 famílias estão sem água”, disse ele. Desde então, Daniel começou a receber mensagens estranhas, contendo ameaças. Por isso, acredita que tenha alguma relação, embora alerte que “não posso afirmar que seja isso, mas é a única coisa que deu uma grande repercussão na cidade. Eu não tenho problema com ninguém”.

Sindjors e a FENAJ, diante da violência crescente contra jornalistas, em todo o país, exigem uma atuação firme e decisiva dos órgãos públicos. Relatório de 2020 da Fenaj apontou um aumento de 105,77% nos casos de violência contra jornalistas, em relação ao ano anterior. Em breve, um novo relatório trará o cenário de 2021 que, lamentavelmente, deve ter números iguais ou piores do que os do ano passado. É preciso dar um basta em qualquer tipo de violência, seja por meio de agressões físicas, ou, também, com tentativas de censura, cerceamento do trabalho da imprensa e constrangimento e assédio moral aos profissionais que estão trabalhando para fortalecer a democracia deste país. O Sindjors ficará atento e tomará as providências cabíveis, além de acompanhar o trabalho de investigação do caso envolvendo o jornalista Daniel Tercílio Carniel. Nossa solidariedade ao colega.

Texto: Carla Seabra/Diretoria Sindjors