Censura leva à dispensa de chefe da comunicação da PRF-PR

37

FENAJ endossa denúncia do SindijorPR sobre censura sofrida pelo jornalista Fernando César Oliveira e se solidariza com o profissional

O controle de informações públicas, estabelecido pelo governo Bolsonaro, está colocando em risco a vida da população brasileira. Não só há censura quanto aos dados oficiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), como o governo cala quem, minimamente, repassa informações próprias da corporação.

O jornalista e policial rodoviário federal Fernando Oliveira, que estava à frente do setor de comunicação da Superintendência da PRF do Paraná desde 2017, foi dispensado da função na última segunda-feira (25) por conta de motivação política. O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam esta decisão arbitrária do governo e do comando da polícia.

Em entrevista à BBC Brasil, Oliveira explica que atendeu às reivindicações da TV Globo para auxiliar na produção da reportagem sobre a Operação Nacional de Segurança Viária, que trazia estatísticas de acidentes da PRF, entrevistas com policiais rodoviários durante uma operação em Curitiba, uma infração de trânsito por excesso de velocidade registrada por um radar e ainda dados sobre isolamento social por conta da pandemia. O material foi ao ar no dia 15 de maio, no Bom Dia Brasil.
O jornalista falou que foi dispensado porque seus superiores consideraram a reportagem “desalinhada” devido à abordagem de temas “sensíveis aos olhos do presidente Jair Bolsonaro”. Para Oliveira, o serviço de assessoria de imprensa em órgãos públicos é “fundamental para o exercício do jornalismo e não deve ser instrumentalizado por interesses de seus gestões, à revelia dos princípios constitucionais”.
Para o SindijorPR, é um absurdo que a exoneração do jornalista tenha sido causada por censura. Com este ato, a PRF está impedindo o acesso à informação da sociedade. Essa mesma censura levou à exoneração um profissional qualificado, que simplesmente passou os dados da própria instituição para a produção da reportagem. Mas, vindo de um governo autoritário que notoriamente trata jornalista com desdém e, pior, incita seus seguidores a atacar justamente os profissionais que estão aqui para questionar e apontar os desmandos do presidente, não surpreende.