FENAJ e Sindicato de SP se solidarizam a Renato Peters, atacado em entrada ao vivo

139

A Federação Nacional dos Jornalistas e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo se solidarizam ao repórter Renato Peters, que em entrada ao vivo na TV Globo sofreu um ataque de uma mulher, que arrancou o microfone de sua mão, nesta sexta-feira, dia 10.

O episódio de violência aconteceu enquanto o jornalista prestava serviço sobre a pandemia do coronavírus, em frente a um hospital que é alvo de críticas da população do entorno, na Zona Norte de São Paulo. Renato foi surpreendido pela mulher, que tomou seu microfone e disse para a câmera: “a Globo é um lixo, o Bolsonaro tem razão”. “Ela só não entendeu que estávamos lá pra mostrar que o hospital do bairro dela, onde ela – se precisar (espero que não) vai procurar”, afirma o repórter.

Nas redes sociais, a agressão foi exaltada por muitos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, e a própria autora se vangloriou da ação em seu perfil pessoal. O jornalista também recebeu apoio de diversos colegas e cidadãos, que ressaltaram o caráter antidemocrático do episódio.

As entidades repudiam veementemente o ataque ao exercício do trabalho do profissional, que não tem nada a ver com o exercício de liberdade de expressão. Como já temos denunciado, esse tipo de comportamento encontra eco em constantes declarações do presidente da República contra a imprensa e contra os jornalistas. Monitoramento divulgado recentemente pela FENAJ aponta o número de 141 ataques de Jair Bolsonaro à imprensa e aos profissionais, apenas no primeiro trimestre do ano – portanto, mais de um ataque por dia. Apenas no contexto do novo coronavírus, foram 21 ataques ao Jornalismo em março. O episódio da última sexta-feira deixa evidente que o clima de beligerância do presidente contra jornalistas incentiva intimidação e violência contra os profissionais que apenas estão fazendo seu trabalho.

O ataque a jornalistas representa um ataque à própria democracia, e é especialmente perigoso nesse cenário de pandemia, quando a informação de qualidade é essencial para conter a disseminação da doença, e assim salvar vidas. De autoridades públicas se espera ao menos a valorização do Jornalismo, de utilidade crucial a toda a sociedade nesse duro momento em que vivemos.

13 de abril de 2020
Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
Federação Nacional dos Jornalistas