Jornalista é demitida no Paraná a pedido de bolsonarista

134

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Norte do Paraná (Sindijor Norte PR) vem a público denunciar ataque às garantias individuais e assédio eleitoral da RICtv a seus jornalistas. Esse assédio eleitoral resultou na injustificada demissão, na última terça-feira (13/09), da jornalista Carol Romanini, apresentadora da emissora em Londrina (PR).

A demissão se deu após pressão do deputado federal Felipe Barros (PL), que se intitula o número 01 de Bolsonaro no Paraná. O deputado usou como pretexto incidente envolvendo a torcida Falange Azul, do Londrina Esporte Clube, no último sábado (10/09) e integrantes de seu comitê de campanha. O “crime” da jornalista foi estar próxima à confusão.

O dono do Grupo RIC no Paraná, Leonardo Petrelli Neto, aliado de Barros, tem engajamento notório na campanha pela reeleição do presidente Jair Bolsonaro. E histórico de assédio eleitoral. Um dia antes (segunda-feira, 12/09) da demissão da jornalista, sua empresa já havia proibido o uso das cores vermelha e bordô pelos repórteres e apresentadores que fossem ao ar. Cores que atribui associação com a candidatura do ex-presidente Lula.

Além das afiliadas da Record TV no Paraná, Petrelli Neto é o dono das afiliadas da Jovem Pan FM no Estado, emissoras que fazem a defesa intransigente do bolsonarismo. Felipe Barros, o deputado bolsonarista, possui influência direta sobre a linha editorial do Grupo RIC. E essa influência levou à demissão da jornalista. Em um evidente abuso de autoridade e assédio eleitoral contra os trabalhadores.

Coletivo de Diretores do Sindijor Norte do PR
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR)
Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ