Mulheres jornalistas integram atos do 8M em todo o país

84

“Lute como uma jornalista”. Essa foi a mensagem que as mulheres da categoria levaram para as ruas neste 8 de Março, diante de tantos ataques à profissão, sobretudo às mulheres.  De norte a sul do Brasil, as integrantes da carreira somaram-se às mulheres dos movimentos sociais e sindicais em marchas, atos, protestos e atividades culturais, ampliando a luta contra o fascismo, o racismo, a LGBTIfobia, a violência de gênero e todas as opressões.

“Como todos os anos, 8 de março marca um dia historicamente significativo para celebrar, honrar e reconhecer o movimento global pelos direitos da mulher. É central que a luta feminista por igualdade e dignidade seja encampada também pelas jornalistas, sobretudo no contexto político pelo qual nossa categoria passa no Brasil”, afirmou a segunda vice-presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Samira de Castro.

A convocatória para que as jornalistas participassem das atividades programadas no 8 de março em seus estados e municípios partiu de deliberação da Comissão de Mulheres da FENAJ, integrada por representantes de 19 Sindicatos da categoria, em conjunto com a Executiva da entidade. A Federação também saiu com posicionamento público na sexta-feira (06/03) – 8 de Março: Pela vida das mulheres, é urgente derrotar o fascismo. 

Desde o início do mês, a FENAJ divulga, em suas redes sociais, cards com dados sobre a mulher jornalista no mercado de trabalho e os principais problemas enfrentados por estas profissionais, como assédios moral e sexual e ataques nas redes sociais. “Diante dos recentes ataques sexistas, machistas e misóginos, resolvemos chamar o 9 de março como o Dia de Luta das Mulheres Jornalistas, conclamando as trabalhadoras a vestirem lilás e incorporarem a luta por dignidade e respeito”, completa Samira de Castro.


Confira algumas das atividades integradas pelos Sindicatos de Jornalistas

Bahia – Pela primeira vez, o Sindicato dos Jornalistas da Bahia (Sinjorba) marcou presença de forma organizada na manifestação pelo Dia Internacional da Mulher em Salvador, que contou com uma caminhada, do Cristo ao Farol da Barra, debaixo de chuva e sol. “Respeito é bom e nós exigimos!”, bradava a faixa que marcou também o início das atividades da Comissão de Mulheres do Sinjorba, coordenada por Isabel Santos. Foi um dia pra ficar na história, com dezenas de colegas, homens inclusive, vestindo a camiseta roxa “Lute Como uma Jornalista”.

Campinas/SP – O ato foi realizado no sábado (07/03). Teve início na Estação Cultura, passou pelo Largo do Rosário e a Rua Treze de Maio, onde ocorreram homenagens para vítimas de violência. Em seguida, os participantes saíram em passeata por vias da região central, como a Avenida Moraes Salles, a Rua Benjamin Constant, além das avenidas Francisco Glicério e Anchieta. A FENAJ foi representada pela vice-presidenta Regional Sudeste, Márcia Regina Quintanilha.

Ceará – Cerca de 10 mil mulheres dos mais diversos coletivos, centrais sindicais, movimentos sociais, populares, estudantis e partidos políticos ocuparam as ruas da Praia de Iracema na tarde deste domingo (8/3), Dia Internacional de Luta das Mulheres. A marcha fez parte da programação do Festival 8 de Março – Pela vida das Mulheres Contra o Fascismo, Machismo, Racismo e LBTFobia – Em Defesa dos Direitos e da Democracia. O Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) levou às ruas o grito das jornalistas brasileiras contra os assédios moral e sexual, contra os ataques sexistas e pelo livre exercício profissional. A  FENAJ foi representada pela segunda vice-presidenta, Samira de Castro.

Distrito Federal – Em Brasília, as jornalistas marcharam do Parque da Cidade até a Torre da Antena, em defesa da vida de todas as mulheres, contra o feminicídio, contra o racismo, o machismo e o fascismo. O Sindicato dos Jornalistas do DF e o Coletivo de Mulheres Jornalistas marcaram presença com faixa em defesa dos direitos e contra as opressões.

 

Espírito Santo – Já na sexta-feira (06/03), parte da diretora do Sindicato dos Jornalistas do Espírito Santo (Sindjornalistas/ES) participou da marcha de mulheres pela vida e contra a violência, no centro de Vitória. O presidente da entidade, Douglas Dantas, divulgou vídeo nas redes sociais da instituição no dia 8 de março, falando sobre a importância e os direitos das mulheres, principalmente nas redes sociais. Durante toda semana, o sindicato compartilhou nas redes informações da FENAJ sobre a desigualdade no mercado de trabalho para as mulheres jornalistas.

Pará – Jornalistas paraenses de todas as gerações participaram do ato público realizado no domingo em Belém, com o tema “Mulheres da Amazônia. Contra as violências, dizemos não a Bolsonaro”. Junto com milhares de trabalhadoras do campo e da cidade, cerca de 40 mulheres jornalistas marcharam da Praça Waldemar Henrique até a Avenida Presidente Vargas. O destaque foi a faixa “Lute como uma jornalista” e dezenas de cartazes na cor lilás.

Matéria sujeita a atualização