Rodrigo Maia diz que artigo desobrigando registro de jornalista será retirado de MP

469

Após pressão da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e Sindicatos de Jornalistas em todo o Brasil, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara dos Deputados, se pronunciou sobre à Medida Provisória (MP), que entre outras alterações na lei trabalhista, acaba com a obrigatoriedade de registro profissional para jornalistas e mais 13 profissões regulamentadas.

Em conversa com o presidente da Câmara Federal, o ex-deputado federal Aldo Rebelo afirmou que a medida foi classificada de inaceitável por Rodrigo Maia.

“Hoje à tarde falei com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, sobre a absurda MP que revoga a obrigatoriedade de registro para atuação profissional de jornalistas. O presidente Rodrigo Maia considerou os termos da MP inaceitáveis”, postou no Twitter Aldo Rebelo, que é jornalista profissional.

Também em entrevista a jornalistas na Câmara Federal, Rodrigo Maia afirmou que a MP deverá ser aprovada, mas sem interferir na regulamentação da profissão de jornalista. Ele se solidarizou com os jornalistas brasileiros e salientou que os artigos que prejudicam a classe deverão ser retirados da Medida Provisória, principalmente o que acaba com a obrigatoriedade do registro profissional.

Entidades jornalísticas

A FENAJ e a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) emitiram nota pública nesta quarta-feira condenando a Medida Provisória, principalmente os artigos que atacam a profissão de jornalista.

As duas entidades e os sindicatos de jornalistas em todo país estão se mobilizando junto aos deputados, senadores e líderes dos partidos políticos para derrubar a medida no Congresso Nacional.

Por Redação Hora News
Foto: Pablo Valadares/Agência Câmara