Sindicato dos Jornalistas do Rio denuncia ao MPT demissão em massa na TV Globo

727

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro formalizou nesta terça-feira (4/04) uma denúncia no Ministério Público do Trabalho (MPT) contra a TV Globo por demissão em massa de 19 jornalistas e radialistas e também por práticas antissindicais. Veja abaixo lista dos demitidos.

Foi “uma covardia com todos os trabalhadores! Além de caracterizar explicitamente uma prática antissindical e a tentativa de coibir os trabalhadores a participarem da assembleia”diz o Sindicato em nota

Por lei, as empresas são obrigadas a fazer negociações coletivas com os sindicatos dos trabalhadores antes de promoverem demissão em massa de trabalhadores e trabalhadoras.

A TV Globo ignorou a decisão do STF. Além disso, anunciou as demissões em plena campanha salarial, um pouco antes e durante a assembleia geral dos trabalhadores realizada no início da tarde de ontem. Uma prática claramente antissindical.

Prática antissindical

Para a direção do Sindicato, os gestores da emissora foram covardes e tentaram desencorajar os trabalhadores e trabalhadoras a participar de uma assembleia relacionada a questões salariais. Isso é uma típica prática antissindical, caracterizada por toda e qualquer ação ou ato cuja finalidade é prejudicar, dificultar ou impedir uma ação sindical em defesa dos direitos dos trabalhadores.

“Foi “um ato de truculência que envergonha a TV Globo! Uma covardia com todos os trabalhadores! Além de caracterizar explicitamente uma prática antissindical e a tentativa de coibir os trabalhadores a participarem da assembleia,” disse o Sindicato em nota publicada na noite desta terça.

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro repudia as demissões e vai protocolar denúncia junto ao Ministério Público do Trabalho contra a arbitrariedade e o inaceitável assédio moral no momento mais decisivo da campanha salarial, quando é apreciada a proposta patronal para a renovação da Convenção Coletiva e os trabalhadores buscam reduzir perdas econômicas e assegurar melhores condições de trabalho”, segue a nota.

Na semana passada, o Sindicato já havia sido surpreendido com o aviso de que a empresa, “embora sólida financeiramente”, passaria por um processo de ajuste e, em consequência, promoveria “demissões pontuais” nos meses de abril e maio.

Na oportunidade, o sindicato manifestou posição contrária a processos de demissão em massa e cobrou informações sobre a quantidade e o perfil dos profissionais que seriam atingidos.

As informações não foram passadas e, diz o sindicato, “as demissões começaram de forma brutal, como poucas vezes aconteceu na empresa”.

Foram dispensados repórteres, produtores e editores da TV Globo e do g1 e também de radialistas.

Veja a lista dos demitidos:

  1. Alba Valéria – repórter G1 Rio
  2. Arthur Guimarães – produtor investigativo RJ
  3. Carlos Bauer – editor JN
  4. Eduardo Tchao – repórter RJ
  5. Eliane Maria – produtora RJ
  6. Elza Gimenez – apuradora RJ
  7. Flávia Jannuzzi – repórter RJ
  8. Jo Mazzarolo – diretora Recife
  9. Jorge Espírito Santo – supervisor Fantástico
  10. José Carlos Azevedo – chefe cinegrafistas RJ
  11. Juarez Passos – chefe produção local RJ
  12. Luciana Osório – repórter RJ
  13. Marcelo Moreira – diretor BH
  14. Marcos Serra Lima – fotógrafo G1 Rio
  15. Monica Sanches – repórter RJ
  16. Marcelo Canellas
  17. Luiza Silvestrini
  18. Helio Alvarez – sup de img e audio
  19. Felipe Vasquez – gnews