Sindjor-MS repudia novas agressões de golpistas a jornalistas em frente ao CMO

348

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS) lamenta vir a público para, novamente, repudiar ação violenta, desrespeitosa e antidemocrática praticada por golpistas contra jornalistas durante o exercício da profissão.

Desta vez foram alvos uma repórter do site Campo Grande News e um repórter fotográfico do portal Top Mídia News, que, nesta segunda-feira (9), faziam a cobertura jornalística da desocupação do acampamento onde se concentram os bolsonaristas que se recusam a reconhecer o resultado das eleições de 2022, em frente ao Comando Militar do Oeste (CMO), em Campo Grande.

Tal prática, além de configurar censura, só reforça aquilo que vem sendo alertado há tempos, inclusive pelo Sindjor-MS: de que se tratam de pessoas agressivas, odiosas, capazes de destruir um patrimônio que é de todos nós, como vem sendo feito há semanas com as vias públicas e canteiros da avenida Duque de Caxias, onde está localizado o CMO, e como ocorreu neste domingo em Brasília, além de atentar contra a vida e dignidade humana de trabalhadores.

Mais uma vez, o Sindjor-MS, em consonância com o que preconiza a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), bem como a legislação trabalhista, reforça aos veículos de comunicação a responsabilidade sobre a integridade e segurança dos profissionais designados para a cobertura de tais atos, tarefa que, a cada dia, vem se mostrando mais arriscada e insalubre.

Desde o início destas ações golpistas, o sindicato atua para, legalmente, garantir a preservação da integridade de jornalistas, inclusive por meio de representações aos órgãos jurídicos e de segurança pública competentes.

Nos solidarizamos com os profissionais de imprensa hostilizados, e ressaltamos que estamos à disposição para atendê-los, bem como a toda a categoria.

Diretoria do Sindjor-MS.

Campo Grande – MS, 9 de janeiro de 2023.