SindjorPB e FENAJ repudiam ataques de dirigentes do Botafogo-PB a jornalistas

350
Imagem: reprodução vídeo da Internet

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba (SindjorPB) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam veementemente as atitudes do conselheiro emérito do Botafogo da Paraíba, Breno Morais e do vice-presidente de futebol do clube, Afonso Guedes, que agrediram verbalmente e por pouco não atingiram fisicamente dois profissionais de imprensa que estavam trabalhando durante partida, disputada no fim da tarde de sábado (18/03), no Estádio Almeidão, em João Pessoa.

A agressividade dos dirigentes do time se deu por causa de comentários técnicos feitos pelo repórter Fábio Hermano, pelo comentarista Pedro Alves, da Rádio CBN, e pelo narrador Elialdo Silva, da Rádio Pop FM. Fábio chegou a ter o microfone tirado das mãos e conta que só não foi agredido fisicamente porque colegas seguraram Afonso  Gudes.

Ainda mais absurdo é que os ataques aconteceram na área reservada à imprensa no Almeidão.

Antes de ser um problema profissional, o comportamento dos dirigentes do Belo reflete o total despreparo pessoal dos indivíduos que deveriam zelar pela imagem do Clube e não expô-lo à mercê de seus destemperos. Além disso, é básico reconhecer que a liberdade de expressão é assegurada aos profissionais de imprensa que têm evidentes direitos de manifestarem suas opiniões.

O espírito esportivo foi rechaçado por Breno e Afonso, mesmo em dia de vitória do Botafogo. Se nem para vencer esses senhores estão preparados, que esperar deles em dia de derrota?

Manifestamos nossa irrestrita solidariedade aos colegas de imprensa desrespeitados e agredidos pelos vândalos que não representam a digna torcida do Belo. Esses indivíduos estão mais para as páginas policiais do que para a editoria de Esportes.