Pesquisa vai mapear profissionalização e mercado jornalístico

151

O Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina está realizando, com apoio da FENAJ, o projeto de pesquisa “Perfil profissional do jornalista brasileiro”. O levantamento objetiva estimar o número de jornalistas em atuação no Brasil, identificando-os por funções na profissão, para viabilizar novas pesquisas nacionais destinadas a traçar o novo perfil da categoria.

A primeira etapa do projeto buscará quantificar os jornalistas brasileiros, já que até o momento não há estudos confiáveis sobre o número e a distribuição territorial dos profissionais no país. A partir desses dados, será possível, posteriormente, mapear informações relevantes para a categoria, empregadores, movimento sindical e associativo, sociedade e governo, como onde trabalham, remuneração, funções que exercem e outras como sua distribuição por gênero ou etnia.

Coordenador da pesquisa “Perfil profissional do jornalismo brasileiro”, o professor e jornalista Jacques Mick conta que o prazo de desenvolvimento de todo o trabalho é de dois anos. “Mas terminaremos antes se conseguirmos mais bolsas que estamos buscando com o apoio da FENAJ”, estima. Neste momento, três professores, um bolsista de mestrado e 18 voluntários de graduação estão envolvidos no projeto. 

Em comunicado aos associados do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ), o presidente da entidade, Sérgio Gadini, registra que para calcular o número e a distribuição dos profissionais atuantes no Brasil, o projeto demanda a participação dos cursos superiores de formação de jornalistas no fornecimento das listas de egressos, ano a ano, desde 1980. As listas devem conter: nome do egresso, sexo, ano de nascimento, ano de ingresso no curso e ano de formatura. A base de dados derivada dessas informações será cruzada, posteriormente, com as relações de profissionais registrados no Ministério do Trabalho e as listas de sindicalizados nas entidades filiadas à FENAJ.

A equipe de pesquisa está realizando contatos com os coordenadores de cursos de jornalismo desde o início de junho e o trabalho de campo deve se estender até julho. Gadini solicitou a cooperação dos professores e coordenadores de cursos de Jornalismo no fornecimento de dados para a pesquisa.

Mais informações sobre o projeto podem ser obtidas junto ao coordenador da pesquisa pelo e-mail jacques.mick@ufsc.br.