Sindicato dos Jornalistas da Paraíba e FENAJ repudiam “postura antiética” da TV Arapuan

203

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba e a Federação Nacional dos Jornalistas vêm a público manifestar o seu repúdio à postura antiética da TV Arapuan, prática já recorrente dessa empresa que, através de pauta direcionada, com o objetivo de manipular a informação e distorcer os fatos, tentou desqualificar o movimento de ocupação dos estudantes da UFPB, que estão em luta contra a nomeação e posse pelo Governo Bolsonaro do reitor menos votado no processo de escolha pela comunidade universitária, ocorrido em agosto.

De forma desrespeitosa, que não condiz com a função social e profissional do jornalismo, o entrevistador Gustavo Chaves, da TV Arapuan, fez juízo de valor e procurou induzir a resposta do entrevistado, querendo impor o seu pensamento ou o da empresa onde trabalha.

Para os telespectadores que assistiram ao programa Cidade em Ação, a matéria estava mais para um debate entre quem era contra ou a favor da nomeação de professor Waldiney Veloso do que para uma reportagem, dando a entender que o entrevistador foi ao local mais para se confrontar com o movimento estudantil do que para saber o porquê e as razões da ocupação.

Esse tipo de conduta além de ferir de morte o Código de Ética da Profissão de Jornalista compromete a construção do conteúdo jornalístico e a responsabilidade na veiculação da notícia.

O Sindicato dos Jornalistas e a FENAJ também prestam solidariedade ao estudante Marivaldo, que foi constrangido e exposto à opinião pública, vítima de uma conduta profissional errada, que macula o jornalismo ético e envergonha a nossa profissão.

Como já foi citado acima, não é a primeira vez que o Sistema Arapuan se esquece que dirige emissoras de Rádio e Televisão, que são concessões públicas, e seus profissionais não podem enveredar pelo caminho do desrespeito às legislações vigentes e de afronta aos Direitos Humanos.

Basta lembrar o caso do apresentador Siqueira Júnior.

A DIRETORIA
João Pessoa-PB, 25 de novembro de 2020″