Sinjope luta por garantia de direitos dos profissionais do Diário de Pernambuco

371
Jornalistas fizeram assembleia em frente à Procuradoria do Trabalho, após reunião de mediação crédito da foto: Julio Jacobina

Mais de cinquenta profissionais adiaram para esta semana a decisão de deflagração de greve contra irregularidades que incluem desde ausência de depósito do FGTS e de recolhimento do INSS até atrasos e parcelamento de salários no Diário de Pernambuco (DP) e nas rádios Clube AM e FM de Pernambuco.

A decisão foi tomada em assembleia realizada na sexta-feira, na frente da Procuradoria Regional do Trabalho da 6ª Região do Ministério Público do Trabalho (PRT6/MPTb),  onde a categoria acompanhou a mediação entre representantes do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope) e da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a empresa. Presidente do DP e arrendatário das rádios, Alexandre Rands confirmou na mediação a proposta de demitir de 20 a 30 do efetivo de cerca de 90 profissionais, sem quitação dos direitos previdenciários e trabalhistas, como fez um ano antes com 12 profissionais.

A mediação originariamente estava focada na regularização de salários e férias, além das obrigações previdenciárias e trabalhistas. Entretanto, uma semana antes, o presidente do DP chamou dois dirigentes do Sinjope que trabalham na empresa para informar que ela estaria “quebrada” e que precisaria fazer as dispensas sem quitação de direitos. Na ocasião, também falou em suprimir horas- extras fixas contratuais da maioria do efetivo, o que representaria um corte de 44,44% da remuneração desse efetivo.

“A empresa está quebrada!”, afirmou o economista Alexandre Rands, dizendo ter errado ao adquirir a empresa, que chegou a chamar de “porcaria”. Também dono da Datamétrica, o presidente do DP enfatizou ter errado na gestão da empresa: “Eu reconheço minha incompetência”, disse.

A Datamétrica opera “contact center” nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Pernambuco, com contratos de elevados valores. A empresa lista entre seus clientes agências e empresas de comunicação, bancos, construtoras, empresas privadas e públicas, além dos governos do Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal e Pernambuco, o Tribunal Regional Federal e o INSS.

Embora tenha surpreendido ao decidir comparecer à mediação na PRT6/MPTb pela primeira vez, Alexandre Rands chocou os profissionais com a forma como se referiu à empresa.

O presidente do DP também afirmou que as demissões sem quitação de direitos trabalhistas propostas eram uma tentativa de salvar as demais vagas e a empresa, indicando a data de 1º de abril para efetivação. Mas acrescentou que, para ele, seria melhor “quebrar a empresa”.

Diante do impasse instalado na mediação, o procurador da PRT6/MPTb, Marcelo Crisanto, ponderou se a empresa avaliara a possibilidade de uma redução temporária dos salários, que somente poderia ser autorizada pelo efetivo de profissionais, com mediação do Sinjope, em assembleia específica. A mediação foi encerrada após cerca de três horas, com a garantia de Alexandre Rands de que faria o estudo da proposta e a apresentaria ao Sinjope para que fosse submetida em assembleia.

Representando o Sinjope, participaram da mediação o presidente Juliano Domingues, além da ex-presidenta Cláudia Eloi, e os diretores Geraldo Bringel, Jaílson da Paz, Fernando Chiappetta, Júlio Jacobina e Valdemir Leite. Também participaram os diretores da FENAJ Chico Carlos e Osnaldo Moraes. A nova assembleia está programada para esta quinta-feira, às 12 horas, na sede do Sindicato dos Radialistas de Pernambuco.

 Fonte: Sinjope.