FENAJ apresenta dados da violência contra jornalistas ao Relator sobre Liberdade de Expressão da OEA

139

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) participou, no dia 5 de agosto, de reunião com o Relator Especial sobre Liberdade de Expressão (RELE), da Organização dos Estados Americanos (OEA), Pedro Vaca. O encontro virtual foi organizado pelo Observatório da Democracia e Riscos Eleitorais (DEMOS), o Washington Brasil Office (WBO), a Oficina Brasil e América do Sul da Artigo 19 e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

O objetivo do encontro foi contribuir com informações sobre a situação geral da integridade da democracia e do processo eleitoral brasileiros. E também articular medidas conjuntas para o acompanhamento da RELE, nas eleições, sobre o exercício da liberdade de expressão no processo eleitoral; a proteção de jornalistas e comunicadores no processo eleitoral e; a desinformação e ambiente de violência politica.

Na ocasião, a segunda vice-presidenta da FENAJ, Samira de Castro, apresentou a entidade sindical máxima de representação da categoria no país, composta por 31 Sindicatos de Jornalistas filiados, representando mais de 8 mil profissionais. “Nos diferenciamos das demais entidades que atuam na defesa das liberdades de expressão e de imprensa porque também defendemos os interesses dos jornalistas como classe trabalhadora”, disse.

A dirigente sindical destacou a preocupação da Federação com a escalada das agressões a jornalistas, citando números do Relatório da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil 2021, com 430 casos. Também reforçou o caráter institucionalizado dessa violência pelo Estado brasileiro, uma vez que o principal agressor da categoria é o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), que é responsável por quase quatro agressões em cada dez registradas ano passado.

Participaram do encontro representantes das entidades: DEMOS, WBO, Artigo 19, Abraji, Comprova, Comitê para Proteção de Jornalistas (CPJ), FENAJ, Instituto Vladimir Herzog, PerifaConnection, Associação de Jornalismo Digital (Ajor), Open Knowledge Brasil, Instituto Palavra Aberta, Tornavoz, Repórteres Sem Fronteiras, Intervozes, Mobile, Laut e Alianza Regional.

Pedro Vaca agradeceu os informes apresentados pelas entidades e externou a sua preocupação com o cenário da liberdade de expressão no Brasil, especialmente no período eleitoral. Disse, ainda, que a RELE tem particular interesse em casos concretos de cerceamento às liberdades de expressão e de imprensa.