Jornalistas em defesa da democracia e dos direitos humanos

209
A Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ – e os Sindicatos de Jornalistas de todo Brasil vêm a público pedir o apoio de toda a sociedade, comprometida com Democracia e a Justiça. Direitos garantidos por nossa Constituição e pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, vêm sendo perigosamente ameaçados no Brasil.
Nos últimos meses, vários acontecimentos têm colocado em risco uma das principais conquistas democráticas da sociedade brasileira: o acesso à informação e o direito à livre manifestação. Decisões do Poder Judiciário, como as que promoveram a censura prévia em Rondônia ou a apreensão de livros em Goiás, e agressões a jornalistas de Tocantins e São Paulo foram os mais recentes episódios de um flagelo que cerceia o exercí­cio profissional e mina a livre expressão no paí­s.
Diante das reiteradas tentativas de amordaçamento da imprensa e das muitas ameaças aos jornalistas, a FENAJ e os Sindicatos de Jornalistas no Brasil se insurgem contra a opressão, o autoritarismo e o desrespeito aos valores fundamentais do estado democrático de direito. Lançamos a partir de hoje – 1º de junho, Dia Nacional da Imprensa – a Campanha de Defesa da Liberdade de Imprensa no Brasil. Hoje, estamos realizando dezenas de atividades em todo paí­s: protestos junto a Tribunais, manifestações artí­sticas, debates na universidades, atos públicos, distribuição de cartazes e manifestos. Além disso, iniciamos um amplo levantamento da violência contra os jornalistas em todas as regiões.
Não podemos permitir a volta da censura, por parte da Justiça o de qualquer outro poder instituí­do no paí­s. Não podemos concordar com a criação de obstáculos para a apuração e a divulgação de fatos de interesse público. Vamos sempre denunciar todas as violências, ameaças e constrangimentos ao trabalho dos jornalistas brasileiros. Sem informação não há jornalismo e sem jornalismo não há democracia e muito menos liberdade.

Pela liberdade de imprensa
Pela democratização da comunicação

Brasí­lia, 1 de junho de 2005

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ