Nota de Repúdio às Agressões a Jornalistas

1144

repud-300x189O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro repudia o recrudescimento das agressões a jornalistas no exercício de suas funções.

Hoje (16/11) durante as manifestações que vêm acontecendo em frente à ALERJ, contra as propostas restritivas ao funcionalismo público, feitas pelo Governo do estado, diversos profissionais foram agredidos. Entre eles, Guilherme Ramalho, de O Globo, que foi chutado e terminou por perder seus óculos em meio à confusão. De um repórter do G1 tentaram retirar a máscara antigases. Gustavo Maia do UOL e um repórter fotográfico da agência O Dia também sofreram agressões.

Uma das situações mais graves ocorreu com o repórter Caco Barcelos, da TV Globo, expulso da manifestação sob uma chuva de garrafas de plástico e cones de trânsito, sendo ferido na cabeça.

Essa prática de agressão a jornalistas está se tornando um hábito nefasto, que fere o direito à informação e espelha o ódio e o desrespeito cada vez mais presentes em determinados segmentos da sociedade.

Reiteramos: o SJPMRJ repudia e condena qualquer ato de violência contra jornalistas e demais trabalhadores, sejam agressões vindas de autoridades ou de populares, seja o abuso físico ou moral.

Nós, jornalistas repudiamos veementemente a prática da violência, que nada acrescenta à informação devida à população, função inerente ao nosso trabalho e um dos pilares de sustentação da nossa tão combalida democracia brasileira.

A Diretoria