Roda de conversa destaca o Dia Internacional da Mulher em São Leopoldo/RS

70

Uma roda de conversa entre mulheres profissionais da comunicação, jornalistas e simpatizantes da causa, marcou o debate “Deixa ela trabalhar” que ocorreu na noite de quarta-feira (04/03), na Câmara Municipal de Vereadores de São Leopoldo. A atividade alusiva ao Dia Internacional da Mulher foi uma iniciativa da Regional Sul da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e contou com as presenças da presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (Sindijors) Vera Daisy Barcellos Costa, e da integrante da Comissão de Mulheres da FENAJ, Katia Marko.

O encontro, que teve a mediação do vice-presidente regional da Federação, José Nunes, foi aberto com uma mensagem da presidenta da FENAJ, Maria José Braga. Ela saudou os participantes e destacou que as mulheres são maioria e nesse sentido exigem condições de igualdade e respeito no exercício profissional. “Chega de assédios e discriminação em locais de trabalho é preciso que homens e mulheres defendam a equidade de gênero tanto na sociedade como no exercício profissional”, enfatiza.

A proposta surge da necessidade de discutir alternativas para o cenário de retrocessos e desrespeito com a comunicação e o jornalismo, bem como com profissionais que estão no exercício da função, em especial, mulheres que, constantemente, passam por situações de assédio, agressão e outras formas de violência, convivendo com o machismo no dia a dia.

As participantes discutiram como é ser mulher no mercado de trabalho, falando a partir de suas próprias vivências, desafios, medos, casos reais, encaminhamentos e limitações na resolução de problemas ligados à cultura machista e patriarcal em que estão inseridas.
Uma das medidas a ser encaminhada como resultado do encontro é a realização de novas rodas de conversas para fortalecer ainda mais o papel da mulher no mercado do trabalho e no combate a cultura machista. A presidente do Sindijors destacou a importância da união em torno do Sindicato que pode dar o amparo necessário as lutas das trabalhadoras jornalistas.