Sindicato do Acre repudia agressão de petista contra jornalista

511

agressao-acreEm nota oficial emitida no dia 6 de setembro, o Sindicato dos Jornalistas do Acre repudiou a atitude truculenta, antiética e antidemocrática do presidente do Partido dos Trabalhadores de Porto Walter, Luís Carlos Ferreira da Silva, conhecido por “Carlos Padeiro”, contra o jornalista Jorge Natal. O motivo da agressão foi a veiculação de matéria com denúncias sobre cinco funcionários fantasmas nomeados pelo governo do Estado, entre eles o autor da agressão.

O jornalista estava trabalhando no levantamento de informações sobre candidatos a prefeito e vice-prefeito, que participariam de uma sabatina em uma emissora local, quando foi agredido com um soco. Não satisfeito, Carlos Padeiro, com a ajuda de um cúmplice, ainda desferiu covardemente vários chutes no jornalista caído ao chão, só sendo contido após a intervenção de moradores do bairro Santa Luzia, onde registrou-se a agressão.

Acionada, a Polícia Militar não conseguiu deter o agressor, que fugiu numa motocicleta. O jornalista agredido registrou a ocorrência na Delegacia local, que investiga o caso.

“É lamentável que o profissional tenha sido agredido de forma tão covarde por estar exercendo seu papel em noticiar uma denuncia feita por um vereador daquele município. O mesmo não agiu fora de seus direitos como profissional que é e de fatos apresentados por um parlamentar que relatava sobre um sistema de corrupção”, diz a nota do SINJAC.

A entidade tomou as medidas cabíveis e cobra um posicionamento da direção estadual do PT. “O Sindicato dos Jornalistas REPUDIA tal ação tomada por membros que deveriam representar a sociedade e que sustentam a defesa de uma historia de lutas e conquistas pelo direito dos trabalhadores”, finaliza o documento.