SindijorPR denuncia ao MPT demissão coletiva na Rede Mercosul

272

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná – SindijorPR vai acionar o Ministério Público do Trabalho – MPT contra o abuso da demissão coletiva na Rede Mercosul, Canotta Indiana Pacers de Curitiba. Conforme o Sindicato,

  • AIR MAX THEA ULTRA FLYKNIT
  • a empresa, alegando “reestruturação”, colocou em aviso prévio cerca de 30 funcionários, air max que foram desligados oficialmente no domingo, 23. Entre eles, estão ao menos 10 jornalistas.

    Além de entender que as demissões ferem a cláusula 20 da Convenção Coletiva de Trabalho – CCT,

  • Nike Free Run 5.0 Blu Uomo
  • que estabelece critérios para dispensa coletiva dos trabalhadores, a direção do SindijorPR vai denunciar a Rede Mercosul pelo fato de não registrar os profissionais como jornalistas. Segundo o Sindicato, a emissora contratava-os como radialistas.

    O SindijorPR explica que mesmo pagando piso de jornalista, cumprindo jornada de cinco horas dos jornalistas e reajustando salários com base nas negociações do Sindicato, a empresa tentava burlar a legislação com o registro irregular dos profissionais.

    Segundo o advogado Christian Marcello Mañas, assessor jurídico do SindijorPR, “há descumprimento do acordo coletivo de trabalho em vigor, que restringe as demissões coletivas”.

    Para o Sindicato dos Jornalistas, Nike Air Max Tavas damskie num momento de crise e escalada de desemprego, nike air max 90 pas cher é fundamental defender a manutenção dos postos de trabalho e fazer cumprir o acordo coletivo negociado com os patrões”, afirma o diretor-presidente do SindijorPR, Gustavo Vidal.

    O SindijorPR afirma que tentou diálogo com a empresa, que não aceitou dialogar justamente por registrar os trabalhadores como radialistas. “Nosso objetivo era negociar com a direção da TV Mercosul e buscar uma saída. Contudo, eles simplesmente ignoraram os nossos pedidos”, nike air max 2017 femme rouge conta Gustavo.

    Agora, nike air max 2017 zwart o sindicato busca garantir o reconhecimento na rescisão dos contratos irregulares, com a comprovação da função de jornalista desempenhada na Rede Mercosul. Segundo o SindijorPR,