Em assembleias, jornalistas cearenses aprovam contribuições para manter o Sindicato

350

Os jornalistas cearenses deram uma grande demonstração de apoio ao seu Sindicato (Sindjorce), aprovando, por meio de assembleias, propostas para enfrentaras dificuldades financeiras da entidade laboral. Uma das medidas aprovadas por unanimidade pela categoria, nas assembleias realizadas no dia 15 de fevereiro, foi a adesão dos jornalistas ao pagamento da contribuição sindical anual.

A contribuição sindical, também conhecida como Imposto Sindical, equivale a um dia de trabalho. Ela foi tornada opcional pela lei da reforma trabalhista, numa alteração que está sendo questionada judicialmente por diversas entidades. E já há interpretação de tribunais de que a assembleia da categoria é a instância legítima para decidir sobre o assunto.

O enfraquecimento financeiro dos sindicatos é parte do projeto político para retirar direitos dos trabalhadores, posto em prática pelos partidos que chegaram ao governo após o impeachment de 2016. As mudanças draconianas na legislação trabalhista atendem aos interesses dos patrões, inclusive os proprietários de empresas de comunicação, que estão na linha de frente do golpe para vender à população as reformas reacionárias.

“Não resta outro caminho aos jornalistas – como a todos os trabalhadores – senão o de se unirem e lutarem em defesa dos seus direitos. A adesão às iniciativas de sustentação financeira do Sindicato é portanto um posicionamento político”, afirma a presidente do Sindjorce, Samira de Castro.