Nota de repúdio para ausência de informações na mídia sobre o impacto da COVID-19 no continente africano

27

Jornalistas reunidos em comissões em defesa da igualdade racial nos sindicatos de jornalistas em várias partes do país e representados na Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial (Conajira/Fenaj) vêm a público repudiar a ausência de informações consistentes na grande mídia sobre o impacto da pandemia da COVID-19 nos 54 países que integram o continente africano e também na população negra brasileira.

É inadmissível que a imprensa mantenha um comportamento racista e excludente, ao não divulgar informações pertinentes sobre a África e não destacar, com  raras exceções, o recorte racial do impacto da COVID-19 em nosso país. Lembramos que o Brasil tem 54,9% da população negra (pretos e pardos, segundo o IBGE) e é o país com maior número de pessoas negras fora do continente africano. Dados divulgados recentemente pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças da União Africana (Africa CDC) mostram que são mais de 22 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus em África, sendo mais de mil o número de mortos.

Ressaltamos a ótima cobertura que a imprensa negra* tem feito sobre o impacto do novo coronavírus na África e nas periferias brasileiras, com destaque para a população negra.  É a imprensa negra que tem garantido a circulação de informações sobre as dinâmicas sociais, políticas, econômicas e sanitárias que têm afetado os negros e negras no país por causa da pandemia. É também a imprensa negra, salvo algumas escassas iniciativas na grande mídia, que tem produzido dados sobre a COVID-19 nos países africanos. Destacamos que a imprensa negra faz este papel apesar das conhecidas dificuldades de financiamento para a sua estruturação.

É fundamental que a grande mídia tenha responsabilidade no exercício da prática jornalística. Recomendamos que os impactos da COVID-19 no continente africano e na população negra brasileira recebam o destaque que merecem nas reportagens televisivas, radiofônicas, impressas e na web.

Brasil, 30 de abril de 2020

Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial do RJ (Cojira-Rio/SJPMRJ)
Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de SP (Cojira-SP/SJSP)
Núcleo de Jornalistas pela Igualdade Racial do Rio Grande do Sul (Sindjors)
Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial do DF (Cojira-DF/SJPDF)
Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial de Alagoas (Cojira-AL/Sindjornal)
Diretoria de Relações de Gênero e Promoção da Igualdade Racial (Sinjorba)
Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial do ES (Cojira\Sindijornalistas-ES)
Comissão Nacional de Jornalistas pela Igualdade Racial (Conajira/Fenaj)

*Alma preta, Geledés, É Nóis, Notícia Preta, Portal Áfricas, dentre outros