Após ser demitida, jornalista que integrava comissão de prevenção de acidentes é reintegrada à TV Cultura

437

A jornalista Claudia Tavares foi reintegrada aos quadros da Fundação Padre Anchieta (FPA) e voltou à TV Cultura na segunda-feira, 21, por determinação da Justiça do Trabalho, que reconheceu a demissão ilegal da repórter.

Claudia havia acabado de encerrar seu mandato na Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa), com direito a um ano de estabilidade, quando foi demitida pela FPA em 21 de dezembro do ano passado, depois de quase duas décadas na emissora, sendo 18 anos dedicados ao programa Repórter Eco.

Em quase vinte anos, foram várias as premiações em reconhecimento à qualidade do programa, inclusive o Prêmio Chico Mendes de Jornalismo Socioambiental, como Melhor Programa de TV, recebido pela jornalista em novembro passado.

Para a direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP), a decisão representa uma vitória, que fortalece a luta pelo respeito aos direitos trabalhistas e contra a arbitrariedade patronal.

“A reintegração da Cláudia traz muito ânimo para o pessoal da Cultura, pois reconhece o legítimo direito de organização e reivindicação da categoria. Cláudia era da Cipa e é uma voz muito respeitada no Jornalismo da emissora’, disse Paulo Zocchi, presidente do Sindicato.

A direção do SJSP também destaca o quanto o processo de sucateamento da emissora pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) tem atingido os trabalhadores e trabalhadoras. Os jornalistas da Cultura estão sem reajuste salarial há três anos e oito meses e, no caso dos radialistas, há três anos e três meses.

Há quatro anos, a direção da FPA deixou de aplicar a Convenção Coletiva das emissoras de rádio e TV com a justificativa de se tratar de uma fundação pública. Porém, a FPA também não garante direitos do serviço público aos profissionais, como estabilidade de emprego e pagamento de quinquênio.

Desde então, os jornalistas e radialistas seguem unificados lutando por um Acordo Coletivo que garanta reajuste salarial e que estenda às categorias outros direitos e garantias estabelecidos nas convenções coletivas de rádio e TV.

 

Fonte: SJSP