Ato Público no DF e vigílias nos estados fortalecem campanha

156

materia2internaMais de 200 manifestantes participaram do Ato Público Nacional em Defesa do Diploma, realizado nesta quarta-feira (1º/04), em Brasília. Mesmo com dificuldades de aproximação ao prédio do Supremo Tribunal Federal e vigiados por forte esquema policial, os ativistas fizeram-se ouvir no plenário da corte, na expectativa de julgamento do recurso contra o diploma. Também em diversos estados houve manifestações próximas a órgãos do judiciário e vigílias.

Diferentemente de situações normais, o prédio do STF amanheceu nesta quarta-feira com uma cerca que dificultava o acesso popular ao órgão. A concentração dos apoiadores da Campanha em Defesa do Diploma começou às 13h, com estudantes, professores e profissionais do Distrito Federal, acompanhados de dirigentes da FENAJ, do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo e dos Sindicatos do DF, GO, AM, RS, PR, SP, RJ, MG, CE e AL.

Por volta das 15h, novos apoiadores vindos em dois ônibus de São Paulo e um ônibus de Goiás ampliaram o Ato Público, que foi prestigiado, também, por dois ex-presidentes da FENAJ, Armando Rollemberg e Américo Antunes. Em função da cerca que impedia a aproximação ao prédio do STF, a concentração se deu inicialmente do outro lado da rua. Depois o movimento deslocou-se para uma área lateral onde pôde ser observado e ouvido do Plenário pelos ministros.

Com faixas, cartazes e apitos, os manifestantes bradavam palavras de ordem como “Gilmar Mendes, preste atenção, jornalista é profissão” e “Supremo Tribunal, Diploma é legal”, sempre vigiados por seguranças do STF e por policiais da ROTAM, a tropa de choque de Brasília. “A manifestação foi barulhenta, mas pacífica, por isso estranhamos todo aquele aparato policial”, conta Valci Zuculoto, da Coordenação da Campanha em Defesa do Diploma.

Acompanhamento em todo o Brasil
Passeatas, atos públicos e debates antecederam este 1º de abril em todo o país, mobilizando estudantes, professores e profissionais de Jornalismo, além de outras entidades e organizações da sociedade defensoras da manutenção do diploma como requisito para o exercício da profissão de jornalista com qualidade e ética. O movimento recebeu o apoio de vereadores, deputados estaduais e federais. E nesta quarta-feira, além de manifestações de rua, em vários estados houve vigílias com telões exibindo a transmissão da sessão do STF pela TV Justiça.

Dirigentes da FENAJ mostraram-se satisfeitos com o nível de mobilização nacional registrado em torno da questão. Comemoraram, também, o grande crescimento dos apoios postados no site da Federação, com mais de 400 mensagens registradas nos últimos dias e já chegando a aproximadamente três mil manifestações.