Banco de Boas Idéias

378

Banco de Boas Idéias

Nome do projeto: Conversa afinada

Promotor: Sindicato dos Jornalistas do Estado do Ceará – Sindjorce

Resumo: O projeto Conversa Afinada funciona desde 2005 e consiste em, uma vez por mês, realizar no espaço cultural do Sindicato dos Jornalistas uma entrevista com um convidado, no estilo “talk-show” participativo com entrevistador e platéia, sendo seguido por um show de música instrumental com um convidado diferente a cada evento. Serão dois momentos: a conversa/entrevista e o musical.

Objetivo:

  1. Aproximar os profissionais de mídia, principalmente os jornalistas, das novas produções culturais do Ceará, através de um misto entre conversa, informação, música e entretenimento no ambiente descontraído do Espaço Cultural do Sindjorce (Sindbar).
  2. Valorizar a produção cultural cearense, propiciando aos artistas e intelectuais convidados uma platéia selecionada de formadores de opinião, o que sensibilizará potenciais facilitadores de divulgações de sua arte.
  3. Propiciar aos jornalistas e demais profissionais de mídia, carentes de capacitação profissional, por falta de investimento das empresas ou por falta de tempo, um momento descontraído para discutir assuntos pertinentes à comunicação social e à cultura, no que diz respeito às novidades na área de literatura, música, teatro e cinema.
  4. Propiciar espaço de congraçamento entre os jornalistas e de aproximação com sua entidade representativa, a fim de criar vínculo e identidade com as questões pertinente à profissão.

Funcionamento:

  1. Patrocínio cultural do Edital BNB de Cultura e da Chesf (1º ano);
  2. Contrato com empresa para cuidar do serviço de bar e restaurante;
  3. Contrato com uma banda fixa e repertório instrumental, que acompanhou todos os convidados do momento musical em todas as edições do projeto para dar unidade às edições;
  4. Atrações da entrevista e do convidado musical, uma por edição;
  5. Criar condições para edições extras do Conversa Afinada que podem surgir de acordo com a disponibilidade de nomes nacionais que estejam passando pela cidade;
  6. Criar e publicar anúncios padronizados em jornais e rádios;
  7. Criar e imprimir folderes padronizados e cartazes;
  8. Confeccionar banneres com a marca do patrocinador, do Sindicato e do Projeto Conversa Afinada;
  9. Criar e veicular vinhetas para rádio;
  10. Contratar um produtor para suporte ao evento.

Resultado:

A capacidade do Sindbar é de 100 pessoas e a média de comparecimento é de 80 pessoas, atingindo picos de 150. O projeto é reconhecido e valorizado pela categoria e tem servido para importantes debates sindicais e culturais, inclusive como forma de aglutinar profissionais.

Imagens

Marca do Projeto:

image008

Legenda: Primeira edição, com entrevista com o atual vice-presidente da Fenaj, Celso Schröeder, em março de 2005, para a diretora do Sindjorce, Adriana Santiago

Banco de Boas Idéias

Nome do projeto: Bloco Matou a Pau…tá.

Promotor: Sindicato dos Jornalistas do Estado do Ceará – Sindjorce

Resumo:    Matou a Pau…tá!” é um bloco carnavalesco promovido pelo Sindjorce desde 2006 que sai no pré-carnaval e no primeiro dia de Carnaval de Fortaleza, com direito à festa de lançamento e concurso para o “editor do bloco” – um boneco gigante ao estilo do Carnaval de Olinda que homenageia um jornalista de destaque no cenário local. A cada ano, um novo “editor” se soma ao bloco. Para animar os brincantes, o Sindicato promove uma consulta para o “editor” deste ano e concorrem jornalistas reconhecidos na categoria. O resultado sai no dia da festa de Natal dos Jornalistas, que acontece todos os anos. Na ocasião serão lançadas a marchinha-hino, estandarte e a camisa do bloco. A proposta do bloco Matou a Pau…tá!, com marchinhas, charanga e bonecos gigantes tem agradado muito aos adultos presentes, mas principalmente as crianças. O nome “Matou a Pau…tá!” é uma brincadeira semântica com a gíria para “sucesso” e o jargão jornalístico que traduz a situação em que o repórter não conseguiu fazer (ou não se esforçou para fazer) a matéria/ pauta indicada pelo chefe, o que normalmente acontece nos sábados à tarde, horário escolhido do bloco.

Objetivo:

  1. O objetivo geral do projeto é aproximar o jornalista cearense entre si e da sua entidade classe através de ações lúdicas.
  2. Levar o jornalista para mergulhar no clima do Carnaval de Rua de Fortaleza, valorizando sua música e a cultura da molecagem é também proporcionar um ambiente propício para o fortalecimento de nossa festa popular, a partir do que se erradia nos meios de comunicação.
  3. Fortalecer o resgate histórico do Centro de Fortaleza, com a revitalização proposta a partir de ações conjuntas com a Associação Cearense de Imprensa, e a Casa do Jornalista, prédio histórico da Rua Major Facundo com seu terraço panorâmico com vista privilegiada para a Praça do Ferreira. Lá acontece a maior concentração carnavalesca da cidade, com o bloco “Concentra mais não sai”. O jornalista voltar a freqüentar a ACI neste momento de festa e beleza é se apaixonar pela vista do Centro é voltar a freqüentar e valorizar a região.
  4. Propiciar espaço de congraçamento entre os jornalistas e de aproximação com sua entidade representativa, a fim de criar vínculo e identidade com as questões pertinente à profissão.

 

 

Funcionamento:

  1. Patrocínio cultural do Edital da Funcet (prefeitura de Fortaleza), apoio Associação Cearense de Imprensa (ACI), da AD2M – Assessoria de Imprensa e do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBN);
  2. A estrutura do bloco funciona da seguinte maneira: os foliões da mídia, família e amigos se concentram a partir das 16 hs defronte ao Centro Cultural Banco do Nordeste, onde tem uma aparelhagem de som e distribuição de cerveja, depois saem às 18hs , percorrem a Rua Floriano Peixoto e sobem até o último andar do prédio da ACI onde tem a festa no terraço panorâmico para o Centro, descem às 19h30min e seguem até a Praça do Ferreira, onde se juntam como os brincantes do bloco “Concentra Mais não Sai”.
  3. Todo o percurso será acompanhado por uma charanga com seis músicos. Ela executará frevos e marchinhas de Carnaval para esquentar a folia. Desde o ano passado, o Matou a Pau…tá! desfila na Avenida Domingos Olímpio, no sábado de Carnaval. No primeiro ano, o bloco conseguiu reunir em um único dia mais de 200 pessoas, no segundo ano mais de 2 mil participaram em sete dias e a expectativa é que o número dobre este ano.

Resultado:

Em 2008 mais de 400 camisas foram confeccionadas e vendidas, tendo um público flutuante de 500 pessoas, em média, por dia. Como foram oito apresentações, duas a mais do que o número exigido pelo Edital do patrocinador, a Fundação de Cultura do Município de Fortaleza (Funcet), estima-se que mais de três mil pessoas se divertiram com a proposta dos jornalistas, o que comprova que o bloco vai muito além de uma categoria profissional. O bloco tem sido motivo de curiosidade na imprensa, e foi notícia por vários dias alternados, com matérias publicadas em jornais, rádios e televisão.

Em seu três últimos anos, o “Matou a Pau…tá!” está sendo realizado com apoio da Associação Cearense de Imprensa (ACI), da AD2M – Assessoria de Imprensa e do Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBN). O Centro Culturalsedia a concentração do bloco, apóia a infra-estrutura e este ano ainda cederá os estúdios para a primeira gravação da marchinha do bloco pelo jornalista Eliomar de Lima. A AD2M garante assessoria de mídia e a produção visual do bloco. A ACI recebe em seu terraço panorâmico os componentes do bloco para uma parada estratégica com a apresentação de desfile de fantasias e dos membros da corte carnavalesca. A ACI ainda oferece o mais inusitado do bloco, que é a subida por sete andares do prédio histórico (a banda vai pelo elevador) e sedia o bailinho de uma hora que relembra os velhos clubes sociais, para depois descer e se unir à multidão do bloco “Concentra mais não Sai” na Praça do Ferreira. No último ano, as entradas do divertido “Matou a Pau..tá” deram um brilho a mais ao gigantesco bloco concentrado na praça. Há dois anos conta com o patrocínio da cervejaria Norsa, que doou refrigerantes, água e cerveja.

Custo: Cada edição do projeto sai, em média, por R$ 1.200,00

 

Imagens –

Marca do Projeto:

image010

Cartaz padrão:

Não tem

Foto ilustrativa:

image012

image014

Legenda:  Jornalistas na concentração, em janeiro de 2008.