CNE faz inclusões no Plano de Lutas dos Jornalistas do Nordeste

7

Dar especial atenção à atuação das Comissões de Ética Estaduais com base nos parâmetros determinados pelo Regimento Interno das Comissões de Ética dos Sindicatos dos Jornalistas bem como promover, ou se juntar, a Campanhas para maior visibilidade do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, foram os destaques apresentados por Kardé Mourão, subscritos por Salomão Castro, respectivamente presidenta e membro da Comissão Nacional de Ética da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), ao Plano de Lutas dos Jornalistas do Nordeste, que balizará a atuação da categoria no ano de 2022, aprovado no I Encontro Regional dos Jornalistas do Nordeste.

Com o apoio da FENAJ e promovido pelos Sindicatos de Jornalistas dos Estados do Ceará, Bahia, Alagoas, Sergipe, Piauí, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Maranhão, o Encontro aconteceu juntamente com o Congresso Estadual dos Jornalistas do Ceará, de 19 a 21 de novembro de 2021, em formato virtual, através da plataforma Zoom. O evento pioneiro teve a participação de dirigentes sindicais e jornalistas dos nove estados do Brasil.

Com o tema “Jornalismo na Linha de Frente – O trabalho do jornalista em tempos de pandemia, desinformação e plataformização”, o Encontro contou com palestras e debates priorizando a defesa do jornalismo, dos jornalistas e da democracia, o fortalecimento das organizações sindicais, a resistência e a mobilização da categoria e o combate à ascensão do fascismo neoliberal no Brasil.

Os jornalistas aprovaram em sua Plenária Final um plano de ação sindical com cinco eixos: negociação, trabalho e direitos dos jornalistas; segurança dos profissionais do jornalismo; combate à censura e defesa das liberdades de imprensa e expressão; jornalismo, direitos humanos e desenvolvimento sustentável e jornalismo, democratização da comunicação e inovação. Além de uma pauta geral emergencial para o ano de 2022 com a criação de Grupos de Trabalho para estudar, detalhar e propor os encaminhamentos aprovados: G1 – Campanha Salarial e aspectos econômicos, G2 – Atuação jurídicas em defesa dos direitos e da profissão, G3 – Formação, ação social, reparação e gênero, G4 – Violência e Liberdade de Imprensa.

Na oportunidade, Kardé Mourão também apresentou informe sobre as tarefas da CNE, destacando a pesquisa nacional que vem sendo realizada, e a intenção da promoção do Encontro Nacional das Comissões de Éticas, visando debater suas eleições e atuações, com base no Regimento Interno das Comissões de Ética dos Sindicatos e a unificação dos processos éticos para maior padronização nos julgamentos, facilitando enormemente os pareceres com base no Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros.

Leia também: 

Sindicatos de Jornalistas do Nordeste farão campanha salarial unificada em 2022