Diretoria da FENAJ definirá posição sobre a reforma sindical

216

No dia 25 de março, a diretoria da FENAJ se reunirá em Brasí­lia. Definir um posicionamento da Federação sobre a reforma sindical será um dos pontos centrais de debate. Polêmico, o projeto encaminhado pelo governo no iní­cio de março requer especial atenção do sindicalismo brasileiro. Mesmo na CUT, a principal central sindical do paí­s, não há consenso sobre o tema.
Para o presidente nacional da CUT, Luiz Marinho, a proposta elaborada no Fórum Nacional do Trabalho “pode não contemplar todos os pontos que a CUT sempre defendeu, mas é a Reforma possí­vel que significa um avanço para o sindicalismo brasileiro”.
Esta avaliação positiva, porém, não é compartilhada por 12 dos 25 membros da Executiva Nacional da CUT. Em ato realizado em São Paulo há cerca de 15 dias, divergiram publicamente. Apontam que o projeto de reforma do governo federal resultará em perda de direitos trabalhistas conquistados há décadas e na ampliação da flexibilização da legislação trabalhista, além de maior divisão do próprio movimento sindical.
Em sua tomada de posição, a diretoria da FENAJ se baseará nas resoluções do XXXI Congresso Nacional dos Jornalistas, realizado em agosto de 2004, em João Pessoa (PB)