Empregados da EBC recusam proposta da empresa e entram em greve

635

greeve_ebc_internaEm assembleia realizada nas quatro praças da EBC (Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e São Luís) na terça-feira (10/11) os empregados da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) rejeitaram a nova proposta apresentada pela direção da empresa no dia anterior e deflagraram greve por tempo indeterminado. Os trabalhadores estão mobilizados por melhores condições de trabalho, contra os privilégios e em defesa da comunicação pública.

A paralisação por tempo indeterminado foi aprovada no dia 5, em assembleia nacional dos empregados da EBC. Com o início da deflagração da greve previsto para o dia 10, no dia anterior instalou-se nova mesa de negociação onde a direção da empresa melhorou sua proposta, que ainda assim está muito abaixo da expectativa dos trabalhadores.

A diretoria da EBC ofereceu 3,5% de aumento salarial e em todas as cláusulas econômicas do Acordo Coletivo de Trabalho para este ano e para o ano de 2016. Isso pode representar uma perda salarial para os trabalhadores de até 15% em dois anos. Com a negativa dos trabalhadores, a direção da empresa entrou com dois pedidos de dissídio, um de greve e outro revisional. Com o primeiro pedido, a empresa visa garantir os serviços básicos e acelerar o processo de julgamento, visto que ele tem caráter sumaríssimo. Já o segundo tem o objetivo de apreciar as cláusulas econômicas propostas para acordo.

Os trabalhadores também mantiveram sua pauta de reivindicação para as cláusulas econômicas. Eles lutam por aumento salarial conforme o índice do IPCA (9,8%) mais um ganho real linear para todos os empregados de R$ 450 (esse valor corresponde a cerca de 5% do total da folha de pagamento da empresa). Além disso, eles pleiteiam que as negociações do ACT sejam realizadas anualmente.

Privilégios
Outra bandeira levantada pelos trabalhadores neste ano é o fim dos privilégios dentro da empresa para gestores e diretores. Eles lutam por isonomia dentro do quadro de empregados e pressionam para que neste momento de crise a empresa faça cortes em cargos comissionados, nos salários da chefia e em outros benefícios dados aos cargos de direção como auxílio moradia e diárias.

Nova assembleia dos empregados está agendada para esta quinta-feira (12/11), às 12h30. Logo após haverá um ato em frente ao Ministério do Planejamento.

Com cerca de 2 mil empregados, a EBC é responsável pela TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Portal EBC, Radioagência Nacional, além de oito emissoras de rádio, como as Rádios Nacional do Rio de Janeiro e de Brasília e as Rádios MEC AM e FM. Opera serviços como o canal de televisão NBr e o programa de rádio “Voz do Brasil”.

Com informações do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal