ENJAI 2015 defende o diploma, a democracia e combate a precarização das relações de trabalho

236

enjai_ce_internaRealizado de 1º a 3 de outubro, em Fortaleza (CE), o XX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa (ENJAI) contou com mais de 300 participantes, entre delegados, observadores e estudantes de 20 estados brasileiros. Na plenária final, realizada no sábado (3/10), foi aprovada a Carta de Fortaleza, documento que expressa os principais posicionamentos políticos e as lutas dos jornalistas brasileiros, de seus sindicatos e da FENAJ.

Com o tema “A credibilidade da informação jornalística na era da comunicação digital”, a programação do evento abordou o exercício da profissão de jornalista sob diversos aspectos, da ética e direito à informação nas assessorias de imprensa até a precarização das relações de trabalho e os direitos da categoria, passando pelos recursos tecnológicos de comunicação como fonte de pesquisa jornalística e pela ampliação de disciplinas sobre assessoria de imprensa nas grades curriculares dos cursos de Jornalismo.

Diversos palestrantes consideraram que a credibilidade da informação jornalística tanto em veículos impressos, quanto no rádio, TV e internet vem sofrendo abalos. Entre os motivos foram apontados centralmente interesses políticos, econômicos e tecnológicos – para alguns um “balcão de negócios – que influenciam a linha editorial e o conteúdo do noticiário.

As manifestações do abalo na credibilidade dos veículos, e por consequência do próprio jornalismo, se refletem na aceleração do tempo de produção de matérias e ampliação de espaços publicitários que comprometem a qualidade da apuração dos fatos e a manifestação de todos os envolvidos na notícia, em detrimento do interesse público. E o resultado é a queda de audiência principalmente dos veículos tradicionais, como também de suas versões em plataformas digitais.

“O abalo da credibilidade dos veículos também se dá diante deste processo de demissões em massa de jornalistas em todo o país”, considera o presidente da FENAJ, Celso Schröder. “Qualquer pessoa de bom senso sabe que a redução do número de profissionais na produção jornalística se reflete na queda de qualidade do jornalismo”, completou. Para Schröder, ao justificarem as demissões em função da crise econômica, os donos dos veículos de comunicação expõem suas fragilidades, num misto de irresponsabilidade e incompetência.

Resoluções
Uma das principais resoluções do XX ENJAI foi a definição das próximas edições do evento com caráter mais científico e de qualificação profissional, reforçando os Congressos Nacionais dos Jornalistas como espaço privilegiado de resoluções políticas de toda a categoria dos jornalistas, inclusive dos que atuam em assessoria de imprensa.

Foram reafirmadas como centrais as lutas pela aprovação da PEC do Diploma na Câmara dos Deputados, pela democratização da comunicação e a convocação da II Confecom e pela garantia do processo democrático no país.

Acompanhe, a seguir, a íntegra do documento final do XX ENJAI.

Carta de Fortaleza
Nós, jornalistas brasileiros em assessoria de imprensa, reunidos na cidade de Fortaleza na realização do XX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa durante os dias 1, 2 e 3 de outubro de 2015, alertamos à população sobre o atual momento de instabilidade econômica e política.

Sem desconhecer a gravidade conjuntural enfrentada pelo país, repudiamos a forma como os grandes veículos de comunicação superdimensionam a desaceleração econômica, tanto em profundidade quanto em alcance, com o objetivo de desestabilizar politicamente o governo.

Por outro lado, ao apostar mais uma vez na conciliação política com setores conservadores, o Governo Dilma insiste na adoção de medidas que empurram a conta do enfraquecimento econômico para os trabalhadores.

As recentes demissões de centenas de jornalistas em todo o país e a crescente precarização das relações de trabalho demonstram a insegurança do mercado de comunicação e reforçam a necessidade de regulamentação de um setor marcado pela concentração e pela falta de controle público.

Mesmo com graves consequências para os profissionais do setor, o avanço do processo de democratização da mídia é uma responsabilidade da sociedade brasileira como um todo.

Apesar da construção da primeira Conferência Nacional de Comunicação, é preciso intensificar a pressão para que o governo proponha leis que constituam um Marco Regulatório para o setor no Brasil.

Em um cenário de crescente convergência de mídias, rearticulação dos meios de comunicação e queda da credibilidade da informação, o XX ENJAI ressalta a importância do trabalho do assessor de imprensa como atividade jornalística pautada pelos fundamentos éticos da profissão e pelo interesse público.

Os jornalistas em assessoria de imprensa reafirmam que a constituição do Conselho Federal de Jornalistas e o resgate da exigência do diploma como critério de acesso à profissão são essenciais ao direito da população à informação jornalística de qualidade.

Nesse sentido, reivindicamos a imediata votação na Câmara Federal do Projeto de Emenda Constitucional 206/2012 e a rejeição do Projeto de Lei 4330, o PL da terceirização, que ameaça os jornalistas e demais trabalhadores brasileiros.

Reiteramos o desastre que representa a ratificação por parte do Congresso Nacional das Medidas Provisórias que alteram para pior a legislação previdenciária no Brasil.

Registramos, ainda, a importância das novas diretrizes curriculares que já resultam no aumento das cadeiras ligadas à assessoria de imprensa nas grades dos cursos de jornalismo, fortalecendo ainda mais a formação e valorização do diploma.

Inspirados pelo Dragão do Mar, como ficou conhecido o jangadeiro Francisco José do Nascimento, o maior herói popular da história abolicionista do Ceará, os jornalistas reunidos neste encontro acreditam que somente a unidade dos trabalhadores será capaz de conquistar estas garantias democráticas que representam um avanço não só para os profissionais da comunicação, mas para todo o povo brasileiro.

Fortaleza, 3 de outubro de 2015.
Plenária final do XX Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa