FENAJ e Sindjors repudiam ameaças à jornalista gaúcha

42

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS – Sindjors e a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ repudiam as ameaças de morte e estupro, sofridos pela jornalista e vereadora (PT) Maria Fernanda Passos das Neves, na madrugada do dia 14/09.

Maria Fernanda, que mora na cidade fronteiriça de Jaguarão (RS) e é apresentadora do DCMTV – Diário do Centro do Mundo, recebeu mensagem de áudio pelo direct do Instagram com ameaças de caráter político/ideológico e com conotações sexistas e que também foram extensivas à sua família.

Essas graves ameaças, segundo ela, se seguiram de ataques sistemáticos nas redes sociais desde que ela teceu comentários sobre as manifestações de apoiadores do presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), no 7 de Setembro.

Por meio de rastreamento foi identificado o autor como sendo Júlio Bordieri, com perfil localizado em Porto (Portugal), mesmo tendo estudado em três universidades brasileiras. Ele apagou suas redes.

A jornalista registrou um Boletim de Ocorrências e o caso está nas mãos da assessoria jurídica do portal DCM.

Segundo a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), as agressões contra jornalistas aumentaram 248% de 2019 até hoje.

Somente em 2021, foram registrados 453 ataques contra comunicadores e meios de comunicação — em 69% das vezes, agentes estatais eram os perpetuadores, sendo que o presidente Bolsonaro, sozinho, foi responsável por 89 destas agressões no último ano.

Um relatório da Abraji mostrou ainda que 127 jornalistas e meios de comunicação foram alvos de ataques de gênero em 2021, sendo que mulheres, cis e trans, representam 91% das vítimas. Em 95% dos casos os agressores eram homens.