FENAJ solidariza-se com Belarus no dia em que país celebra a liberdade

10

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), entidade máxima de representação da categoria no Brasil, solidariza-se com o povo belarusso, que sofre, atualmente, restrições às liberdades individuais e coletivas, impostas pelo governo. Hoje, 25 de março, Dia da Liberdade em Belarus, 299 pessoas, das quais 12 jornalistas, estão presas por suas posições e atuações políticas ou pelo seu exercício profissional, caso dos jornalistas.

O Dia da Liberdade em Belarus marca a proclamação da independência da República Popular de Belarus, em 1918. É, portanto, uma data histórica para o povo, embora não reconhecida pelo governo atual, que tem agido para suprimir as liberdades conquistadas historicamente. Desde as eleições presidenciais fraudulentas de 9 de agosto de 2020, mais de 30 mil pessoas, incluindo 480 jornalistas, foram detidas, muitas delas sujeitas a torturas. E mais de mil pessoas estão sob perseguição criminal.

A situação dos/das jornalistas merecem destaque, visto que a liberdade de imprensa é imprescindível para a democracia. Duas jornalistas belarussas, Daria Tchultsova e Katsiaryna Andreyeva, foram condenadas a dois anos de prisão por terem feito transmissão ao vivo da manifestação pacífica, realizada em 15 de novembro de 2020, em memória do jovem Raman Bandarenka, covardemente assassinado por policiais três dias antes. As jornalistas foram acusadas de “incitar a desordem” por divulgarem os protestos, ou seja, simplesmente por fazerem seu trabalho.

A jornalista belarussa Katsiaryna Barysevitch recebeu seis meses de prisão por ter feito entrevista com o médico que revelou que Raman Bandarenka não tinha álcool no sangue quando foi espancado até a morte, o que contradiz a versão do governo, que insistia que Raman estava bêbado e veio a óbito devido a uma briga qualquer. Katsiaryna está presa desde novembro de 2020.

O jornalista Andrei Aliaksandrau e a sua namorada Iryna Zlobina foram detidos em janeiro, sob acusação de financiamento de protestos. Eles contribuíram para o pagamento de multas que outras pessoas receberam por terem participado das manifestações pacíficas.

O jornalista, blogueiro e consultor da Rádio Svaboda, Ihar Losik, está preso desde junho de 2020. Sua vida está em perigo: ele tentou cortar os pulsos e já fez greve de fome, em protesto contra as acusações injustas.

A FENAJ soma-se à Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) e a outras entidades na defesa das liberdades individuais e coletivas do povo belarusso. Conclamamos pela liberdade dos que se encontram no cárcere e o arquivamento dos processos judiciais abertos com base em acusações infundadas e injustas.

O povo belarusso e, em especial, os/as jornalistas têm nosso apoio e solidariedade. Liberdade, sempre!

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ.

Brasília, 25 de março de 2021.