Morre o jornalista, professor e observador do mundo Nilson Lage

162
Arquivo.

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e os Sindicatos dos Jornalistas de Santa Catarina e do Município do Rio de Janeiro, comunicam, com extremo pesar, o falecimento do jornalista e professor Nilson Lage, em Florianópolis. Nilson lutava contra um câncer e veio a óbito na noite de ontem (23/08/2021).

Nascido em 1936, no Rio de Janeiro, Nilson Lemos Lage, iniciou sua carreira jornalística em 1955, como redator do Dário Carioca. Posteriormente foi editor de textos do Jornal do Brasil, redator chefe, editor de Política e de Geral do jornal Última Hora, redator-chefe da revista Manchete, editor do jornal O Globo e gerente da TVE do Rio de Janeiro.

Graduado em Letras, mestre em Comunicação, doutor em Linguística e Filologia, iniciou sua carreira docente em 1971, na Universidade Federal Fluminense. Posteriormente, lecionou na Universidade Gama Filho, Universidade Estácio de Sá, Faculdades Hélio Alonso, Universidade Federal de Minas Gerais, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Nilson aposentou-se em 2006, como professor titular do Departamento de Jornalismo da UFSC, após 50 anos de atividade profissional. Além de contribuir com a formação de gerações de jornalistas, sua extensa produção bibliográfica e acadêmica inclui 11 livros, 31 capítulos de livros, e diversos artigos de produção acadêmica e técnica. Obras que são referência no ensino das técnicas e teoria do jornalismo no Brasil e no mundo.

Com sua vasta experiência e generosidade, Nilson Lage também contribuiu com sua participação, sempre voluntária, em debates e congressos promovidos pelo movimento sindical dos jornalistas brasileiros, ciente da importância da organização e fortalecimento das lutas específicas e gerais dos trabalhadores. Em 2010, durante o Congresso Nacional dos Jornalistas, em Porto Alegre, em reconhecimento por essa imensa contribuição, foi homenageado com a Comenda da FENAJ.

Nilson Lage exerceu e ensinou o jornalismo não apenas como ofício, mas também como modo de observar e estar no mundo. Tão grande quando a sua dedicação à profissão e ao ensino era seu amor ao Brasil. Em recente entrevista, o Mestre confessou desencanto com o País, “invadido por uma massa de fascistas e nazistas” e que, diante desta realidade, “quem está aqui só tem uma obrigação: lutar. Fazer o que, mal ou bem, a gente está fazendo e que eu fiz a vida toda: abrir a boca”.

A FENAJ e seus Sindicatos reafirmam seu compromisso de honrar o legado do jornalista e professor Nilson Lage mantendo-se na luta e, neste momento de dor, solidarizam-se com os parentes, amigos, colegas de profissão, alunos e ex-alunos. Sua firmeza de caráter, compromisso com a democracia, sua grandeza e sua obra permanecerão vivos em nossas memórias.

Nilson Lage, jornalista, professor, observador do mundo e, antes de tudo, brasileiro.

Brasília, 24 de agosto de 2021.
Federação Nacional dos Jornalistas
Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina
Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro