Nota de repúdio

15

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro (SPPERJ) repudia a agressão verbal que a jornalista Michele Maria sofreu, através da rede social, acusando-a de distorcer fato criminal para promover sensacionalismo na página da empresa REC Plus, em Saquarema.

A reportagem sobre um fato ocorrido no Porto da Roça foi baseada no Boletim de Ocorrência, que registrou tiros efetuados contra um homem que se recusou a se render e atirou no policial que fora a sua casa, chamado por um vizinho que ouviu disparos de arma de fogo no interior da residência. Segundo o registro da 124 DP, o policial reagiu em legítima defesa, pois estava sob a mira de uma arma apreendida pela polícia, portada pelo agressor no portão de sua residência.

Porém, segundo o filho do agressor, que chegou a ser atendido no Hospital de Bacaxá onde veio a óbito, a jornalista promoveu sensacionalismo ao publicar a matéria baseada no BO, o que não é verdade, pois a reportagem somente descreve o fato, sem fazer juízo e nem emitir opinião.

A jornalista Michele Maria, membro do SJPERJ, filiado à Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), tem exercido a profissão com o estrito senso profissional que caracteriza a prática saudável do jornalismo, cuja principal função é informar os cidadãos.

Niterói, 27 de agosto de 2020,

Mário Sousa
Presidente do SJPERJ