Nota de Repúdio – Ataque contra equipes de TV na Serra

68

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Espírito Santo (Sindijornalistas/ES) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) manifestam sua solidariedade às equipes de reportagem alvos da violência de criminosos nesta terça-feira (2/3) no bairro Planalto Serrano, na Serra. E se solidarizam, ainda, com a população que é obrigada a conviver com a criminalidade, diariamente.

As equipes da TV Gazeta, formada pelo repórter Diony Silva e o cinegrafista Fernando Estevão, e da TV Tribuna, com Suzy Faria e Sérgio Porto, faziam reportagem sobre os ônibus que eram impedidos de subir para os blocos B e C do bairro.

Enquanto a equipe da TV Tribuna atravessou a rua para falar com um grupo de moradores, Diony e Fernando estavam em um link ao vivo, entrevistando outras pessoas. Foi quando dois bandidos em uma moto passaram e mandaram que parassem de filmar. Em seguida, eles retornaram com uma arma e um radiocomunicador e, novamente, ameaçaram a equipe.

Ao saírem com a moto, cerca de cem metros à frente, eles atiraram, possivelmente, para o alto. Os moradores reclamavam de tiroteios que ocorreram no bairro, durante a madrugada.

O Sindijornalistas e a FENAJ repudiam toda e qualquer forma de ataque ao trabalho da imprensa, inclusive, as que se manifestam de forma física e armada. É urgente que o Estado, por meio da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) dê a devida segurança para o exercício profissional, pois todo ataque à imprensa é um ataque à democracia e, portanto, inaceitável.

Faz-se necessário que as empresas de Comunicação mantenham protocolos de segurança, tais como: somente enviar equipes de reportagens a locais de conflito com a presença da polícia, fornecer coletes a seus funcionários, e acionar o Ciodes-190, assim que for percebida qualquer situação de risco para as esquipes que atuam na rua.

É preciso ainda que o Estado garanta a segurança da população e também os serviços mais básicos como acesso à saúde, educação e políticas sociais para que a criminalidade não encontre espaço.