FENAJ e organizações se reúnem com GT de Comunicação Social da transição

361


Grupo apresentou documento com 12 recomendações ao próximo governo para  a garantia do exercício livre e seguro do jornalismo 

Organizações ligadas à defesa das liberdades de expressão e imprensa, entre elas a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), reuniram-se, nesta quarta-feira (7/12), com o Grupo de Trabalho de Comunicação Social do Gabinete de Transição do Governo Federal. Na ocasião, foi entregue a Carta da sociedade civil em defesa da liberdade de imprensa.

O documento, além de apresentar um diagnóstico preocupante com dados sobre as crescentes ameaças contra a prática jornalística, faz 12 recomendações ao futuro governo em relação à segurança e proteção dos jornalistas, bem como o respeito das autoridades públicas ao trabalho da imprensa.

Para essas organizações, é fundamental que o novo governo adote um discurso público que valorize a liberdade de imprensa e a importância do trabalho jornalístico como parte fundamental do processo democrático e que contribua para prevenir a violência contra jornalistas e comunicadores.

As recomendações foram bem recebidas pelo Grupo de Trabalho, que já apresentou alguns encaminhamentos referentes às demandas apresentadas, como, por exemplo, incluir a defesa de jornalistas e a liberdade de imprensa nas proposições do GT, anexando a carta e suas recomendações ao relatório final do grupo.

Os integrantes do GT também manifestaram preocupação com a segurança das equipes  escaladas para a cobertura da posse e diplomação do presidente eleito e afirmaram que irão alertar à organização do evento sobre possíveis riscos.

O GT também aventou a possibilidade de compartilhar a carta com as assessorias de imprensa de todos os ministérios e sensibilizar profissionais responsáveis pela interlocução com a imprensa sobre o clima de hostilidade vivido por jornalistas desde o fim do segundo turno.

O GT vai recomendar que os ministérios do novo governo atuem conjuntamente para permitir o livre exercício do jornalismo no país e o acesso a informações de interesse público.

A reunião, em formato híbrido, contou com a participação do coordenador do GT de Comunicação Social, João Brant, e de parte de seus integrantes, entre eles, Florestan Fernandes Jr, Tereza Cruvinel, Juliana Nunes, Laurindo Leal Filho, Rafael Angeli e Taís Ladeira.

A coalizão de organizações foi representada por membros da Abraji (Guilherme Amado), Ajor (Maia Fortes), ARTIGO 19 (Maria Tranjan), Comitê de Proteção dos Jornalistas (Renata Neder), FENAJ (Antonio Paulo Santos e Samira de Castro), Instituto Palavra Aberta (Patrícia Blanco), Instituto Vladimir Herzog (Dyego Pegorario), Intervozes (Ramenia Vieira e Viviane Tavares), Repórteres Sem Fronteiras (Bia Barbosa) e Tornavoz (Taís Gasparian e Charlene Nagae).

Com informações da Abraji e Ajor