Sindicato do DF e FENAJ vêm a público denunciar e repudiar mais esse ataque e se solidarizar com a trabalhadora agredida

109

NOTA OFICIAL | ATÉ ONDE VAI A EXTREMA-DIREITA CONTRA OS JORNALISTAS? 

Nesse domingo, mais uma vez, uma jornalista, da TV Band, foi agredida por uma seguidora de Jair Bolsonaro com mastro de uma bandeira em mais uma manifestação da extrema-direita contra a democracia.

Só em maio, é o terceiro episódio de violência de seguidores de Bolsonaro contra os trabalhadores da informação. Isso sem contar as ofensas diárias de Jair Bolsonaro contra os jornalistas e a imprensa.

O Sindicato dos Jornalistas do DF e a FENAJ vêm a público denunciar mais esse ataque, repudiar mais esse ato e se solidarizar com a trabalhadora agredida.

Até quando as forças ainda democráticas no país vão aceitar essa situação? Até quando se vai tolerar um presidente, destruir a cada dia nossas frágeis liberdades democráticas? Vamos esperar mortes de jornalistas nesse cenário?

O Sindicato dos Jornalistas do DF não aceita mais essa situação. Apoiamos a instalação imediata de um processo de impeachment.

Bolsonaro tem uma vasta lista de crimes comuns e de crimes de responsabilidade no cargo que o impedem de continuar no comando do país.

Convocamos os jornalistas a não aceitar mais esses ataques. Os veículos de imprensa também têm que se responsabilizar pela vida dos jornalistas, bem como avaliar se os factóides do presidente precisam ser acompanhados presencialmente. Além, claro, de reverter os cortes de salários implementados durante a pandemia em dezenas de empresas.

Caso os jornalistas sejam obrigados a cobrir, inclusive, em eventos oficiais, atos do governo, que só aceitem se dirigir a esse locais com equipamentos de proteção, como coletes, capacetes e joelheiras. Além de máscaras de proteção ao coronavírus.

Os jornalistas precisam se proteger   não só contra a pandemia, mas do ataque ao Estado de Direito, à democracia e aos direitos dos trabalhadores.

Diretoria do SJPDF