SindijorPR garante acordo para jornalistas demitidos em 2009 da Folha de Londrina

632

No mês de junho, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) encerrou um importante processo judicial de reintegração de jornalistas, de quase R$ 1,4 milhão. Demitidos irregularmente em 2009, profissionais do jornal Folha de Londrina ingressaram na ação coletiva do sindicato em busca de direitos e valores não pagos pela empresa.

Na época, a Folha desligou 17 dos 33 jornalistas da sucursal de Curitiba. As demissões foram consideradas irregulares pela Justiça do Trabalho de Curitiba, que acolheu os argumentos do SindijorPR de que as demissões violaram a Cláusula 20 da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. Após recursos da empresa negados pelo Tribunal Superior do Trabalho, e uma espera de sete anos, foi mantida a reintegração dos demitidos”.

No começo de 2018, a empresa propôs acordo para indenizar os trabalhadores. Depois de negociar com advogados e proprietários da empresa, SindijorPR e jornalistas concordaram com a proposta final para encerrar o processo judicial. Em junho, o acordo foi homologado.

“Não havia dúvida de que houve desrespeito à convenção dos jornalistas. Mesmo assim, com todas as decisões favoráveis, o processo se arrastou devido aos recursos. Hoje podemos comemorar a garantia desse importante mecanismo de preservação de emprego que a categoria possui”, destaca Gustavo Vidal, diretor-presidente do SindijorPR.

Para o advogado do SindijorPR Sidnei Machado, o fato de a empresa tentar passar por cima da CCT acabou resultando na perda da ação. “Ficou demonstrado no processo que a Folha de Londrina ignorou o procedimento contratado com o Sindicato, que tinha como objetivo reduzir os efeitos sociais das demissões e impedir a demissão em massa de trabalhadores”, avalia.

 Autor: Flávio Augusto Laginski Fonte:SindijorPR