Sindjorce e FENAJ se solidarizam com os trabalhadores demitidos da NordesTV

583

O Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) se solidarizam com os trabalhadores demitidos da NordesTV, retransmissora da Bandeirantes no Estado. A emissora, pertencente ao Sistema Jangadeiro de Comunicação, dispensou nessa segunda-feira (8/19) todo o seu quadro funcional.

Segundo a direção do Sistema Jangadeiro, o encerramento das atividades em Fortaleza decorre da descontinuidade do repasse de recursos da Band para a retransmissora cearense, uma situação que vinha acontecendo desde 2016. Desta forma, a NordesTV continuará funcionando apenas em Sobral.

Estima-se que, pelo menos, 50 pessoas tenham ficado desempregadas, segundo os colegas da área. O Sindjorce coloca a assessoria jurídica da entidade à disposição dos jornalistas dispensados (repórteres, editores, repórteres cinematográficos e produtores) para quaisquer esclarecimentos acerca dos seus direitos.

Cabe destacar que a NordestV é uma concessão pública nas mãos de herdeiros do senador Tasso Jereissati (PSDB/CE). Com o fim da sucursal em Fortaleza, também perde a sociedade cearense, que fica ainda mais carente de conteúdo regional, seja no jornalismo ou no entretenimento.

O Sindjorce e a FENAJ reiteram a defesa da regulamentação do Capítulo V da Constituição Federal, que trata da Comunicação Social, sobretudo no que diz respeito à produção de conteúdo regional nos veículos de mídia eletrônica. Sem leis complementares para regulamentar esses artigos, o mercado de trabalho da categoria passa por uma grave crise, decorrente, em parte, pela existência de monopólios e oligopólios de mídia que não se preocupam com a pluralidade de ideias e com a diversidade de temas da vida pública nacional.