SindJoRS registra novas ameaças a jornalistas e equipes de comunicação no RS

191

Sindicato de Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SindJoRS), com apoio da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ), repudia e lamenta, mais uma vez, intimidações, agressões e tentativa de impedimento de trabalho sofridas por jornalistas e equipes de profissionais da comunicação no exercício de suas atividades profissionais.

As ações perversas, covardes e, muitas vezes, violentas têm sido uma prática de grupos extremistas, que não aceitam a vitória legitimada pelas urnas, do presidente Lula, nas eleições de 2022, e que ainda se organizam em todo o país, sendo responsáveis pelos ataques terroristas aos edifícios-sede dos três poderes, em Brasília, no último dia 08 de janeiro. No nosso Estado não tem sido diferente.

PORTO ALEGRE

Na tarde de quarta-feira (11/01), enquanto gravava vídeos no Parque Moinhos de Vento (Parcão), para informar sobre manifestação convocada em redes sociais, em seu portal @DerivasJornalismo no Instagram, o jornalista Alas Derivas foi atingido pela onda de intolerância.

Ao registrar um agrupamento de pessoas que estavam no local, para participar da manifestação, ele foi intimidado por elas, sofrendo tentativas de agressão com chutes e pontapés. Os agressores também tentaram tomar os equipamentos do profissional. Ele recebeu solidariedade de populares que testemunharam as agressões.
Ao chegar, ao local, um destacamento da Brigada Militar abordou o profissional, que foi revistado e obrigado a assinar um Termo Circunstanciado por Vias de Fato, como se fosse autor da violência.

PANAMBI

No dia 09 de janeiro, manifestantes tentaram impedir uma equipe da RBS TV, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul, de registrar imagens de ato, naquela cidade do Noroeste gaúcho. A Brigada Militar precisou intervir para garantir que os profissionais trabalhassem em segurança. A equipe registrava imagens de um ato na BR-158, que tinha cerca de 10 pessoas na Avenida Adolfo Kepler, próximo ao trevo de acesso à rodovia. Dois homens se aproximaram dos profissionais da imprensa e um deles deu um soco em um dos vidros do carro da reportagem e hostilizou a repórter Gherusa Cassol. Com a intervenção da Brigada Militar, foi possível finalizar o trabalho de cobertura jornalística do fato.

SÃO BORJA

Na cidade, que fica na região das Missões do RS, também no dia 09 de janeiro, o jornalista Luciano Resmini, que mantém o SB News, fez um Boletim de Ocorrências por comentários ofensivos e de ameaça, registrados em seu portal de notícias, por parte de uma pessoa da comunidade. O profissional decidiu fazer uma representação criminal contra o autor.

SindJoRS e a FENAJ não admitem, em hipótese alguma, que intimidações e agressões desse tipo sejam feitas contra os profissionais, no exercício do seu trabalho de informar e levar fatos e notícias à população. As instituições, representativas dos jornalistas, já acionaram os poderes estaduais e federais, manifestando preocupação com a escalada de violência contra as e os jornalistas.

Laura Santos Rocha
Presidenta do Sindicato de Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul – SindJoRS

Samira de Castro
Presidenta da Federação Nacional de Jornalistas – FENAJ