Sinjope e FENAJ repudiam agressão contra jornalista brasileiro no Qatar

89

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Pernambuco (Sinjope) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) repudiam a atitude das autoridades policiais do Qatar durante a Copa do Mundo no país. Na manhã desta terça-feira (22/11), o jornalista pernambucano Victor Pereira teve o celular apreendido após a bandeira do estado de Pernambuco ser confundida com a da causa LGBTQIA+, símbolo proibido no país do Oriente Médio.

O jornalista precisou apagar os vídeos que fez com a bandeira para ter o celular devolvido pelas autoridades policiais presentes nos arredores do estádio. Segundo Victor Pereira, a bandeira de Pernambuco ainda foi jogada e pisada no chão. Em suas redes sociais, o jornalista lamentou o fato e informou que vai procurar representantes da FIFA.

O Sinjope e a FENAJ vão acionar a Federação Internacional de Jornalismo (FIJ) para relatar o fato que vem em desencontro com os princípios do bom jornalismo e da plena democracia. As entidades lamentam o ocorrido e ofereceram apoio ao jornalista Victor Pereira, que está credenciado pela FIFA para cobrir a Copa do Mundo no Qatar.

O jornalista está no Qatar representando um pool de empresas de comunicação. Em Pernambuco, a TV Nova Nordeste, a Folha de Pernambuco e a a Rádio Cidade de Caruaru e a Rádio Cidade de Caruaru; no Ceará, O Povo; e na Bahia, o Jornal Correio e a Rádio Sociedade.