Abertas as inscrições para o XI Congresso dos Jornalistas do Ceará

18

Pela primeira vez em formato virtual, evento reunirá a categoria para debater os desafios profissionais em tempos de pandemia, desinformação e plataformização

Estão abertas as inscrições para o XI Congresso dos Jornalistas do Ceará, que acontecerá entre os dias 19 e 21 de novembro deste ano, em formato virtual. Com o tema “Jornalismo na Linha de Frente – O trabalho do jornalista em tempos de pandemia, desinformação e plataformização”, a expectativa do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) é reunir 200 participantes, entre jornalistas, estudantes e professores de Jornalismo, além de dirigentes sindicais e profissionais de outras áreas.

As inscrições podem ser feitas por meio deste LINK. O valor é de R$ 40,00, sendo que jornalistas sindicalizados em dia, estudantes e aposentados pagam somente R$ 20,00. Estão previstos no programa do evento uma conferência de abertura, com o tema central, quatro painéis e uma plenária final, na qual será apresentado, debatido e aprovado o plano de lutas dos jornalistas cearenses.

Totalmente online, o Congresso começa às 19h da sexta-feira (19/11), com a presença dos presidentes do Sindjorce e da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Rafael Mesquita e Maria José Braga, além de representantes do movimento sindical e autoridades. Após a abertura solene, haverá a Conferência Magna “Jornalismo na linha de frente”, que terá a participação de Joaquim de Carvalho, jornalista investigativo e produtor do documentário “Bolsonaro e Adélio – Uma fakeada no coração do Brasil”, que é fenômeno de público, com quase 1,5 milhão de visualizações no YouTube. Com longeva carreira na imprensa brasileira, Joaquim foi subeditor da Veja e repórter do Jornal Nacional. Ganhou os prêmios Esso (equipe, 1992), Vladimir Herzog e Jornalismo Social (revista Imprensa). Atualmente é colunista do site Brasil 247.

Já na manhã de sábado (20/11), haverá o painel “Jornalismo atividade essencial, rotinas produtivas e aceleração da plataformização”. O assunto será abordado por Rafael Rodrigues, professor do curso de Jornalismo da Universidade Federal do Ceará (UFC) e um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo “Como trabalham os comunicadores em tempos de pandemia do COVID-19? Dados do Ceará”, e por Rafael Grohmann, professor do Mestrado e Doutorado em Comunicação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e Coordenador do Laboratório de Pesquisa DigiLabour. Ainda na manhã, acontece o painel “Propagação de informações fraudulentas e os ataques a jornalistas no contexto da democracia em vertigem”, mesa que a organização do evento aguarda a confirmação dos convidados.

Dando continuidade, no período da tarde, o painel intitulado “Desertificação da mídia tradicional e os novos arranjos jornalísticos contemporâneos”, já tem confirmada a participação de Roseli Fígaro, professora do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo, também coordenadora do Grupo de Pesquisa Comunicação e Trabalho e da pesquisa sobre os novos ‘arranjos econômicos’ alternativos para a produção jornalística, e de Jana Sá, jornalista da agência de notícias Saiba Mais (RN) e mestra em Ciências Sociais/UFRN.

Logo após, encerrando a programação científica do dia, a discussão “Fundo público de fomento ao jornalismo e políticas de democratização da comunicação”, com a participação da presidenta da FENAJ, Maria José Braga, que apresentará a proposta do Fundo de Apoio e Fomento ao Jornalismo e aos Jornalistas, e da jornalista Helena Martins, professora do curso de Publicidade e Propaganda e do Programa de Pós-graduação da UFC e autora do livro “Comunicações em tempos de crise – economia e política”, que atualiza o debate sobre a democratização da comunicação na era das corporações de comunicações digitais.

Na sequência, os delegados participantes se dividem em grupos de trabalho para debater o plano de lutas dos jornalistas cearenses, com propostas para o enfrentamento da precarização nas relações e trabalho e das temáticas debatidas ao longo dos painéis.

O domingo (20/11), último dia do evento, será dedicado à apresentação, discussão e votação de propostas do plano de ação dos jornalistas cearenses.