FENAJ condena utilização de seu nome em manifesto eleitoral

197

O lançamento de um novo manifesto em apoio à reeleição do presidente da República gerou protestos da direção da FENAJ. O nome da Federação aparece na lista de “integrantes de movimentos sociais” que assinam o documento. A posição da Federação, de não apoiar nenhuma das candidaturas a presidente foi definida no 32º Congresso Nacional da categoria, realizado em julho, em Ouro Preto (MG).

Em plenária realizada no dia 6 de julho, os delegados do 32º Congresso Nacional dos Jornalistas definiram posições da categoria sobre a situação nacional, apontando a intervenção da FENAJ nas eleições de 2006 através do fortalecendo o movimento contra a corrupção, não apoiando nenhuma candidatura à presidência da República e apresentando suas propostas a todos.

A posição nacional da categoria ficou explicita num trecho da Carta de Ouro Preto: “Quando se inicia um novo período de eleições gerais, os brasileiros assistem, atônitos, ao desenrolar de uma crise dos preceitos morais e políticos, que alicerçam e tornam legítimo o processo de redemocratização iniciado com o fim da Ditadura Militar”.

O documento apontou, ainda, que “diante da gravidade dos fatos, só nos resta recuperar os princípios que inspiraram a criação do movimento pela ética na política nos anos 80. E exigir que todos os candidatos a mandatos eletivos cerrem fileiras contra a corrupção eleitoral, dando mostras claras de um novo pacto com o povo brasileiro, baseado no compromisso com o interesse público e o resgate da dignidade no exercício da política. Ao mesmo tempo, colocaremos a comunicação no centro da política e nos empenharemos na apresentação à sociedade de propostas de políticas públicas de comunicação que sirvam como contribuição a todos os programas de governo”.