Monumento francês homenageia jornalistas. FENAJ retoma luta por monumento no Brasil

250

No dia 7 de outubro iniciaram-se, na França, as homenagens aos jornalistas que morreram no exercício da profissão em todo o mundo desde 1944. O “Memorial dos Repórteres” é o primeiro monumento com este caráter na Europa. No Brasil, a FENAJ fará um esforço concentrado neste final de ano para retomar a construção do “Monumento à Liberdade de Imprensa”, que está parada há mais de três anos.

Aproximadamente 2 mil jornalistas morreram em todo o mundo no exercício da profissão desde 1944, segundo a agência EFE. O “Memorial dos Repórteres” fica na cidade francesa de Bayeux – a primeira a ser liberada do domínio nazista após o desembarque das tropas aliadas, na 2ª Guerra Mundial. Nele há um muro de dois metros, numa área de 500 metros, onde constam os nomes de todos os jornalistas mortos, para eternizar sua memória e valorizar seu trabalho.

Monumento em Brasília
Para homenagear a liberdade de imprensa, a FENAJ vem há anos lutando pela edificação do “Monumento à Liberdade de Imprensa” em Brasília. O projeto prevê uma obra com 1.000 m2, onde haverá espaço multimídia, auditório, estúdio de Rádio e TV, sala para entrevistas coletivas, ambiente para exposições, museu das comunicações e espaço onde os jornalistas terão à sua disposição equipamentos para produzir e transmitir matérias.

As obras foram iniciadas em 2001, com recursos captados pela Lei Rouanet e com investimentos da própria FENAJ. Os recursos da primeira fase foram suficientes para a conclusão da fundação. A Federação intensificará esforços para a retomar as obras do monumento ainda neste ano. Segundo o arquiteto mineiro Gustavo Pena, autor do projeto, faltam seis meses de trabalho e R$ 1,5 milhões para conclusão do monumento. Para mais informações sobre o projeto, clique aqui.