PA: Nova diretoria do Sindicato se reuniu com presidenta da FENAJ para discutir questões da categoria

137
A nova diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará (Sinjor-PA) reuniu na última quinta-feira (14) com a presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), Maria José Braga, por videoconferência. Essa foi a primeira reunião entre a nova diretoria do Sinjor-Pa com a presidenta da FENAJ. O encontro virtual foi feito para estreitar os laços entre a entidade paraense e a federação e discutir questões sensíveis a categoria como o enfrentamento a Covid-19 nos locais de trabalho, a inserção dos jornalistas como grupo prioritário de vacinação e as consequência econômicas para a categoria.
A reunião com a FENAJ foi dirigida pelo presidente do Sinjor-PA, Vito Gemaque, e contou com a participação da vice-presidente Rose Gomes, o secretário Elias Serejo, que também compõe a direção da FENAJ, a tesoureira Carol Pombo, a delegada suplente na FENAJ Helena Saria, a diretora de interior Talita Baena e a representante da Diretoria Regional do Tapajós (DRTap), Alciane Ayres. Um dos principais pontos de discussão foi a possibilidade de inclusão dos jornalistas como categoria prioritária para a vacinação. A discussão ocorre nacionalmente entre os sindicatos de jornalistas.
O presidente paraense Vito Gemaque falou sobre a atual situação do Sinjor, que a nova diretoria ainda está organizando a entidade burocraticamente. Para ele, a realidade dos jornalistas paraenses é diferente do Sul e Sudeste do país, assim como há distinções entre a realidade dentro do Estado do Pará com uma precarização do trabalho maior no interior. Vito destacou a necessidade de parceria com a FENAJ e indagou sobre as orientações da nacional sobre a possibilidade de inclusão dos jornalistas no programa de vacinação como um dos grupos prioritários e as recomendações da FENAJ no combate a pandemia nos locais de trabalho. Ele ainda perguntou qual é a avaliação da nacional para a conjuntura econômica neste ano.
A presidente da FENAJ, Zequinha, informou que a orientação da Federação é que os sindicatos solicitem aos governos estaduais a inclusão da categoria no atendimento prioritário, já que o jornalismo é fundamental para combater a propagação de fake news, que dificultam o controle da pandemia com desinformação. Os jornalistas foram uma das categorias consideradas essenciais que não pararam durante a pandemia.
Já as orientações da FENAJ para o combate a pandemia do novo coronavírus nos locais de trabalho (redações e assessoriais de imprensa) continuam as mesmas. A presidente Zequinha informou que as orientações são negociar com as empresas o trabalho remoto nas funções que forem possíveis e nas redações cumprir medidas de segurança como o distanciamento social, não compartilhamento de materiais de trabalho, disponibilizar álcool em gel para os funcionários e outras medidas de sanitárias.
A integrante da DRTap, Alciane Ayres, informou das dificuldades que jornalistas tem enfrentado para conseguir o registro profissional pela Superintendência Regional do Trabalho via internet. Ela também apresentou algumas ações que a diretoria anterior da DRTap desenvolveu com após as recomendações da Fenaj de enfrentamento ao novo Coronavírus.
Zequinha orientou que a DRTap e a executiva do Sinjor tentem resolver localmente na Superintendência Regional do Trabalho no Pará. Caso não seja possível elaborar um relatório e encaminhar para a FENAJ sobre quais problemas estão ocorrendo no sistema. No final os dois presidentes Zequinha e Gemaque ressaltaram que manterão o diálogo entre as entidades para enfrentar os desafios futuros dos jornalistas. A diretoria executiva do Sinjor-PA reunirá hoje para discutir a possibilidade de inclusão dos jornalistas como grupo prioritário de vacinação e outros assuntos.
SinjorPA