Conheça os finalistas das sete categorias da 43º edição Prêmio Vladimir Herzog que será entregue neste sábado

24

O 43º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos divulga nesta quarta-feira (14.10) os finalistas das suas sete categorias. Uma das mais significativas distinções jornalísticas do país, a premiação destaca trabalhos que promovem a democracia e os direitos humanos. Os vencedores serão anunciados no sábado (16.10) pela comissão organizadora, em sessão pública, no canal do youtube do prêmio. Nesta edição também será concedido o Prêmio Especial Vladimir Herzog 2021 para Neusa Maria Pereira, Alex Silveira, além de José Marques de Melo e Abdias Nascimento, ambos in memoriam.

Conheça os finalistas da 43ª edição do Prêmio Vladimir Herzog:

  • Categoria Arte

– Zé DAssilva, “Motociatas”, Diário Catarinense.

– Norberto Liberator; Marina Duarte Maidana; Aline Correia Antonini
“LGBTfobia está atrelada ao processo de colonização?”, Revista Badaró.

– Aroeira, “Guernica Amazônica”, Portal 247

  • Categoria Fotografia

– Brenno Farias, “Grito do Subúrbio”, O Globo

– Mauro Pimentel, “Jacarezinho”, Agence France-Presse

– Tarso Sarraf; Renato Tavares; Cleo Soares; Daniel Nardin, “Paradoxo amazônico: 66% dos piores municípios do Brasil estão na Amazônia”, O Liberal

  • Produção jornalística em áudio

– Camila Salmazio; Lua Gatinoni; Sarah Fernandes, “Crianças refugiadas discutem no Radinho BdF o direito de migrar”, Brasil de Fato.

– João Peres; Marina Yamaoka; Victor Matioli; Victor Oliveira; Denise Matsumoto; Amanda Flora “O prato do preso”,  O Joio e o Trigo.

– Juliana Deodoro; Stefano Frasson Maccarini; Ricardo Ampudia Talachia; Magê Flores; Fábio Takahashi, “Três gerações de uma família contam a história da escola pública”, Folha de S. Paulo
– Kellen Moraes; Branca Vianna; Flora Thomson-DeVeaux; Paula Scarpin; Guilherme Alpendre; Aurélio de Aragão; Rafael Spínola; Laís Lifschitz; Claudia Nogarotto; João Jabace; Pedro Leal David; Antonio Venancio, “O crime da Praia dos Ossos”, Rádio Novelo

  • Produção jornalística em multimídia

– Alice de Souza; Fernanda Santana Lima; Thiago Emmanuel dos Santos Souza; Luane Ferraz de Souza; Luiz Felipe de Oliveira Libório; Gabriella Leal Borges; Camila Queiroz Bezerra; Bruno Vinicius Luiz da Silva; Quihoma Isaac, “Dependências: Fé, dinheiro e voto no tratamento do uso abusivo de drogas no Nordeste”, Agência Retruco.

– Gustavo Faleiros; Bram Ebus; James Alberti; Tom Laffay; Ewald Scharfenberg; Marcos David Valverde; Kate Wheeling; Sonia Bridi; G. I. Sutherland; Wilfred Leeuwin; Sam Cowie; Fabiano Villela; Mônica Reolom; Cristine Kist; Fillipi Nahar; Patricia Marcano; Laura Clisanchez; Marcelo Marques. “Mercúrio, uma chaga na floresta”,  InfoAmazonia + Fantástico + Armando.info.
– Paula Leite; Fernando Sciarra; Mariana Goulart; Luciana Coelho; Marcelo Leite; Lalo de Almeida; Sylvia Colombo; Fabiano Maisonnave; Ana Estela de Sousa Pinto; Fernanda Mena; Patrícia Campos Mello; Fábio Zanini; Thiago Amâncio; Eduardo Anizelli; Gustavo Queirolo; Simon Ducroquet; Irapuan Campos; Rubens Fernando Alencar; Danilo Verpa; Rogério Pilker
“Estado alterado”, Folha de S. Paulo.

  • Produção jornalística em vídeo

– Carlos Juliano Barros; Caue Angeli; Ana Magalhães, “Parou por quê? A reforma agrária no governo Bolsonaro”,  Repórter Brasil/UOL.
– Giuliana Girardi; Bruno Della Latta; Juvenal Vieira; Marconi Matos; Sullen Gonçalves
“Pobreza menstrual”, Rede Globo – Fantástico.
– Vanessa Lorenzini; Laíze Câmara; Claudia Machado; Daiane Alioto; Laura Cantal; Marici Capitelli; Plinio Delphino; Marici Arruda; Sidney Turaça; Nilo Moraes; Tadeu Vicentin; Adriano Tavares; Jorio Silva; Ricardo Ramiro; Valdecy Messias; José Antonio Lippo; Jefferson Alves; Henrique Bacana; Marilia Assef; Leão Serva, “Eles Matam Mulheres”, TV Cultura.

  • Produção jornalística em texto

– Idiana Tomazelli; Adriana Campos Gomes Fernandes; Gabriela Greb Tozzo
“A casa do brasileiro e a pandemia”, O Estado de S. Paulo

– Mauri König, “Os filhos de Itaipu”,  The Intercept Brasil

– Sabrina Felipe, “Café com pólvora”, The Intercept Brasil

  • Livro-reportagem

De acordo com o Regulamento desta edição, “na categoria Livro-reportagem, as obras inscritas serão avaliadas em etapa única e mediante emissão de parecer que justifique a indicação da vencedora”. A divulgação será no sábado, 16 de outubro, durante a Sessão Pública de Julgamento ( 14h às 17h no canal do YouTube do PVH).

Premiação – A cerimônia solene do 43º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos será no dia 25 de outubro, segunda-feira, das 20h às 21h30, de forma virtual. A já tradicional Roda de Conversa com os Ganhadores também será remota com transmissão no dia 24 de outubro, domingo, das 17h às 19h.

O Prêmio Vladimir Herzog é promovido e organizado por uma comissão constituída pelas seguintes instituições: Associação Brasileira de Imprensa (ABI); Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ; Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo; Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – ABRAJI; Sociedade Brasileira dos Estudos Interdisciplinares da Comunicação – Intercom; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP; Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo; Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo; Conectas Direitos Humanos; Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB Nacional; Ordem dos Advogados do Brasil – Secção São Paulo, Periferia em Movimento e Instituto Vladimir Herzog.

Mais informações:

Confira os classificados e as matérias finalistas e mais informações no site do prêmio

https://premiovladimirherzog.org/

e no canal do Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCx0eR7mqsX1mr3Z4fr2CQiA